Série de webinários marca início de estudos ambientais em Unidades de Conservação

Primeiro debate traz especialistas nacionais e regionais para falar sobre modelo de solução que usa a própria natureza para reduzir impactos negativos das mudanças do clima

A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas/PE) promove, nesta quarta-feira (26/05), às 10h, o primeiro de uma série de quatro webinários especiais com foco na restauração de ecossistemas. A iniciativa marca o início das ações do programa UC Pernambuco, responsável por elaborar estudos ambientais em 47 Unidades de Conservação (UCs) do Estado. O bate-papo online que abre a série vai falar sobre o chamado “modelo de Adaptação Baseada em Ecossistemas” (AbE), uma solução para reduzir os impactos negativos das mudanças do clima usando a própria natureza.

O debate conta com a participação de especialistas nacionais e regionais, como Bráulio Dias, professor da UNB e ex-secretário executivo da Convenção Sobre Diversidade Biológica (CDB); Vivian Maité Castro, turismóloga e mestre em desenvolvimento em meio ambiente; e Francis Lacerda, climatologista do Instituto Agronômico de Pernambuco – IPA, e especialista em mudança do clima. A moderação do evento será realizada pelo secretário Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti.

Segundo Bertotti, os webinários, dentro do programa UC Pernambuco, se colocam como uma fase preparatória para a sociedade pernambucana. A ideia é que se estimule a reflexão dos principais conceitos e desafios que dizem respeito à elaboração dos estudos ambientais. “Nesse primeiro webinário, trazemos o tema da mudança climática como norteadora do debate. Queremos olhar a adaptação desses ambientes buscando a forma certa de a sua conservação contribuir para reduzir o grau de ameaça e vulnerabilidade do Estado. A metodologia de AbE ajudará a encontrarmos as maiores potencialidades desses ecossistemas preservando a vida e a qualidade de vida dos pernambucanos”, explicou.

Durante o bate-papo virtual, serão abordados pontos como conceito, limites e possibilidades da AbE; a implementação do ciclo desse sistema na criação e revisão dos planos de manejo para UCs; as perspectivas e os desafios dos gestores das Unidades de Conservação na implementação do modelo, além das UCs enquanto estratégias de mitigação e adaptação à mudança do clima.

UC Pernambuco – O Governo de Pernambuco, por meio da Semas, está realizando o maior conjunto de estudos ambientais em áreas remanescentes de Mata Atlântica e Caatinga do Estado, com o objetivo de potencializar a gestão e a conservação dos recursos naturais. O programa UC Pernambuco abrange um território de 243,6 mil hectares e o trabalho deve ser concluído até janeiro de 2023. As pesquisas beneficiam diretamente áreas remanescentes dos biomas Mata Atlântica (33), Caatinga (07) e Marinho Costeiro (07).

A iniciativa também tem como uma das metas consolidar o envolvimento das comunidades locais na proteção das reservas. Para tanto, a Semas deu início, através do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep/OS) – organização contratada para executar o programa -, a uma chamada pública que selecionará instituições da sociedade civil que atuam nesses territórios. A intenção é que elas realizem parte dos estudos conhecidas como diagnósticos socioambientais das UCs e ajudem na formação dos conselhos gestores dessas áreas.

Serviço

O que: Série de webinários marca início de estudos ambientais em Unidades de Conservação
Quando: nesta quarta-feira (26/05), às 10h,
Onde: Facebook/Semas Oficial e YouTube/SemasPernambuco

Conheça o programa: https://uc-pernambuco.semas.pe.gov.br/