Conforme secretário Bertotti, que recebeu a gestora do Consórcio de Municípios da Mata Sul, o tratamento de resíduos sólidos do estado está diretamente relacionada com qualidade de vida e saúde

Para tocar o desenvolvimento de mais uma ação do programa Lixão Zero no estado, o secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, recebeu nesta segunda-feira,06, na Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) a prefeita da cidade de Primavera, Dayse Juliana dos Santos, presidente do Consórcio de Municípios da Mata Sul – Comsul, integrado por 12 municípios da região. Na pauta da reunião esteve a apresentação de um projeto de ampliação de um aterro sanitário administrado pelo consórcio e que deverá contar com apoio da Semas para sua execução.

“A gestão dos resíduos sólidos do estado de Pernambuco está diretamente relacionada com qualidade de vida e saúde. Com infraestrutura de desenvolvimento econômico, mas fundamentalmente, de enfretamento às mudanças climáticas”, afirmou o secretário José Bertotti.
Conforme discutido, a Comsul administra um aterro sanitário que está com prazo de validade bastante exíguo com capacidade de atendimento reduzida para atender os 12 municípios nos próximos anos.

O projeto apresentado na reunião, envolve recursos de cerca de R$ 2 milhões de reais para a ampliação e a destinação adequada dos resíduos sólidos da região. De acordo com Bertotti, a proposta será analisada pelo Governo do Estado e a Semas irá providenciar um convênio para que o estado possa apoiar

Participaram do encontro, técnicos da Semas, secretários municipais de Primavera e o Secretário de Desenvolvimento Social do estado, Sileno Guedes, juntamente com técnicos da secretaria de desenvolvimento social.

Na conferência do Clima da ONU, a COP 26, o governador Paulo Câmara anunciou um pacote de medidas na ordem de R$ 75 milhões de reais em prol da agenda ambiental, com vistas a combater os efeitos das mudanças climáticas. Entre elas está o tratamento de resíduos sólidos, com criação de : 15 galpões de triagem, compostagem e erradicação de lixões em 43 municípios, totalizando um aporte de R14,5 milhões.

Foto: Lu Rocha