Representantes da pasta ambiental irão dar detalhes do novo edital para financiamento de projetos nessa área e organizações sociais vão expor experiências bem-sucedidas

A importância dos sistemas agroflorestais para os biomas Mata Atlântica e Caatinga é o tema do webinário que será realizado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) nesta segunda-feira (29), a partir das 10h. No evento, será detalhado o novo edital do Fundo Estadual de Meio Ambiente (Fema), que financiará iniciativas nessa área para restaurar localidades degradadas ou em processo de degradação próximas a nascentes. O Centro Sabiá e o Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan) também apresentarão sua experiência e projetos bens sucedidos.

O webinário será transmitido pelo canal da Semas no YouTube e o público poderá encaminhar perguntas e tirar dúvidas pelo chat da transmissão. Entre os palestrantes do evento estão: o secretário da Semas, José Bertotti; a secretária executiva da pasta estadual, Inamara Mélo; Alexandre Pires, da ONG Centro Sabiá; a agricultora de Triunfo Raimunda Queiroz; a agricultora de Bom Jardim Chirlene Barbosa; e a representante do Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (Cepan), Fabiane Santos.

Lançado pelo Governo do Estado no último dia 22 de março, o edital Fema será o primeiro ponto abordado no webinário. Ele irá financiar projetos pilotos da sociedade civil que visem à recomposição florestal em áreas de nascentes. Essa restauração deve ocorrer a partir de sistemas agroflorestais e focar em locais degradados ou em processo de degradação nos biomas de Mata Atlântica e Caatinga. A iniciativa conta com recursos na ordem de R$ 1,8 milhão e destinará até R$ 300 mil para cada proposta aprovada.

As organizações não-governamentais e as fundações privadas sem fins lucrativos com objetivos ambientais podem enviar projetos, até o dia 23 de junho, para a Semas, por meio digital. Os endereços para envio dos projetos são semaspernambuco@semas.pe.gov.br e consema.pe@semas.pe.gov.br. O edital e os formulários e documentos de orientação para participar da chamada pública (manual do Fema) estão disponíveis no site da secretaria (www.semas.pe.gov.br). A expectativa é que as ações aprovadas tenham início até setembro deste ano. O prazo para conclusão das atividades é de sete meses.

Ainda no webinário, os representantes das ONGs vão falar sobre suas experiências na implantação de projetos com sistemas agroflorestais e restauração florestal nos biomas Caatinga e Mata Atlântica. O encontro virtual também abre espaço para o relato de duas agricultoras: Raimunda Queiroz, moradora de Triunfo; e Chirlene Barbosa, de Bom Jardim. Elas vão compartilhar com o público suas vivências sobre esse tipo iniciativa, desafios e resultados obtidos.

Agroflorestal – Considerada uma boa prática, o sistema agroflorestal prevê o plantio de espécies agrícolas e florestais em uma mesma área. Isso torna possível a produção de grãos, frutos e fibras sem que a natureza seja agredida. Embora pareça nova, a técnica já era utilizada pelos indígenas há séculos. Vale ressaltar que o sistema possibilita ao agricultor diversificar seus produtos e ajuda a fixar os trabalhadores no campo, com demanda durante todo o ano. Além disso, ele apresenta vantagens para o meio ambiente, como aumento da biodiversidade, diminuição da erosão e conservação das nascentes.

Serviço

O que: Semas realiza webinário sobre Sistemas Agroflorestais
Quando: Nesta segunda-feira (29/03), às 10h
Onde: YouTube/SemasPernambuco