A partir desta sexta-feira (14) acontecem ações de fiscalização integrada no litoral sul de Pernambuco, para fortalecer o controle e organização da orla marítima quanto às condições de operação e segurança das embarcações e a promoção de ações educativas e de informação sobre o uso dos espaços litorâneos para atividades náuticas, integrando as estratégias para a implementação do Zoneamento Ambiental e Territorial das Atividades Náuticas (ZATAN) da APA de Guadalupe. As ações integradas seguem até este domingo (16). A fiscalização náutica contará com a estreia da embarcação Flexboat da Área de Proteção Ambiental (APA) de Guadalupe, adquirida com recursos do Projeto GEF Mar/MMA.

A operação integrada terá a participação de diversas instituições como a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco – SEMAS PE, Agência Estadual de Meio Ambiente – CPRH, Área de Proteção Ambiental de Guadalupe – APAG, Capitania dos Portos de Pernambuco – CPPE, Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Nordeste – CEPENE/ICMBio, Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais – APACC, Prefeitura de Tamandaré com sua Guarda Marítima.

Fiscalização integrada em Tamandaré

A APA de Guadalupe, é uma Unidade de Conservação Estadual de uso sustentável, criada em 1997, e sua gestão é de responsabilidade da Agência Estadual de Meio Ambiente – CPRH. Na sua área costeira, a APA tem como grande desafio compatibilizar os usos e a preservação de áreas de elevada importância biológica e beleza cênica. Parte deste território costeiro está sobreposto a APA Costa dos Corais, que é gerida pelo ICMBio, além do Parque Municipal Forte de Tamandaré. Visando avançar no desenvolvimento sustentável da região foi elaborado o Zoneamento Ambiental e Territorial das Atividades Náuticas (ZATAN) do estuário do Rio Formoso.

O Zatan trata-se de subproduto do Plano de Manejo da APA de Guadalupe, que estabelece o ordenamento das atividades náuticas, buscando compatibilizá-las com a conservação ambiental. O Zoneamento foi construído de forma participativa, envolvendo todos os atores locais e reconhecido por meio do Decreto nº50.049 de 2021.