O encontro faz referência aos resultados do projeto de pesquisa ACT-Assessment Low Carbon Transition with DDP-Deep Decarbonization Pathways (ACT-DDP)

No Acordo de Paris da ONU, assinado em 2016, o Brasil e países de diversas partes do mundo assumiram o compromisso de neutralizar a emissão de carbono até meados do século, descarbonizando todos os setores da economia. Onde está o Brasil e onde o país precisa ir até 2030 e 2050 para transformar os subsetores analisados de forma consistente com o Acordo de Paris? Onde estão as empresas, quais ações e desafios enfrentam para alinhar suas transformações com as transformações setoriais e nacionais? Como a colaboração e a cooperação entre autoridades públicas e empresas podem promover mudanças significativas? Estas e outras questões estão sendo discutidas no evento “Caminhos para descarbonização no Brasil: Resultados do projeto piloto ACT-DDP”, que está acontecendo hoje (27/04), em São Paulo (SP).

O encontro faz referência aos resultados do projeto de pesquisa ACT-Assessment Low Carbon Transition with DDP-Deep Decarbonization Pathways (ACT-DDP) lançado no final de 2019 para construir, ilustrar e promover ferramentas que permitam um diálogo entre empresas privadas e governos para um enriquecimento mútuo de suas estratégias de descarbonização. A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco levou para o evento um pouco da sua experiência com o Plano estadual de Descarbonização, participando da sessão “Ação climática no Brasil, uma perspectiva regional”, que teve como objetivo discutir o papel dos governos regionais na implementação de uma profunda transformação da descarbonização e destacar a relevância dos atores não estatais no acordo de Paris e como os compromissos podem se transformar em ação, mostrando iniciativas que estão sendo implementadas por governos subnacionais que vão promover mudanças significativas. A sessão também discutiu como atores relevantes precisam ser incluídos quando um governo está implementando uma estratégia de descarbonização e conexão necessária entre os setores público e privado.

Samanta Della Bella, superintendente de Sustentabilidade e Clima da Semas PE

O Plano de Descarbonização de Pernambuco é uma estratégia estadual para reduzir a emissão de gases de efeito estufa e contribuir para evitar o aumento do aquecimento global e suas consequências. Há dois anos uma equipe multidisciplinar vem trabalhando para encontrar soluções custo-efetivas que possam ser implementadas para reduzir as emissões de gases do efeito estufa no estado. Uma contribuição efetiva de Pernambuco que contou com um planejamento integrado de ações de mitigação para os setores de energia e uso do solo até 2050, com metas a curto e médio prazo. Dentre as principais medidas do plano estão: a eliminação gradual do desmatamento com restauração de vegetação nativa, com recuperação da mata atlântica e a caatinga; a produção de biocombustíveis para meios de transporte de difícil transformação (aviação, rodoviário de caminhões e containers); a eletrificação de veículos leves; a expansão da capacidade de energia a partir de fontes renováveis; a recuperação energética de biogás de aterros; e a implantação de captura e armazenamento de carbono. Medidas que envolvem os setores de Energia & Indústria, Transportes, Resíduos e Agricultura, Floresta e outros usos do solo. Conheça o Plano de Descarbonização de Pernambuco