Zoneamento foi produzido em parceria com a Sudene e a Embrapa Semiárido

Zoneamento foi produzido em parceria com a Sudene e a Embrapa Semiárido e será detalhado em live nesta quinta-feira (04)

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) lança, nesta quinta-feira (03), a partir das 10h, o Zoneamento das Áreas Suscetíveis à Desertificação de Pernambuco. O estudo, que foi desenvolvido em parceria com a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e a Embrapa Semiárido, será detalhado em live transmitida pelos canais das três entidades no YouTube. O documento identifica e avalia o fenômeno no estado com o objetivo de subsidiar políticas públicas de desenvolvimento sustentável.

O lançamento contará com a participação do secretário da Semas, José Bertotti, da coordenadora-Geral de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente da Sudene, Beatriz Lyra, e do chefe-Geral da Embrapa Semiárido, Pedro Gama. “O zoneamento é um importante subsídio, que nos apontará a direção certa para o processo de desenvolvimento de políticas públicas, pois é possível ver as condições mais específicas de cada região e município. E além de ser um documento técnico, leva em consideração aspectos sociais, ou seja, traz a visão de quem sofre diretamente as consequências desse fenômeno”, explica Bertotti.

Pernambuco possui hoje cerca de 90% do seu território sob a ação de clima semiárido, com amplas repercussões ambientais, destacando-se: escassez de água, solos rasos, baixa fertilidade agrícola, evapotranspiração elevada e processos de desertificação. Com isso, a publicação descreve as situações de suscetibilidade à desertificação para as regiões do Agreste, Sertão, além de dois municípios da Zona da Mata Sul, recentemente incluídos no semiárido brasileiro, totalizando 123 municípios.

Ao longo de suas 120 páginas, o documento oferece uma compreensão do processo da desertificação, a partir de indicadores biofísicos consensuados na literatura sobre a temática: cobertura vegetal e tipos de solo, tanto vistos separadamente, como também de forma integrada. Para viabilização da primeira etapa deste levantamento, foi realizada a identificação/caracterização de fatores socioambientais (solos, ambientes, cobertura vegetal, clima e socioeconomia); mapeamento; processo digital e verificação da verdade terrestre.

Na segunda etapa, foram realizados 61 encontros, intitulados “Diálogos Municipais”, – abrangendo os 122 municípios que compõem o Semiárido Pernambucano – e 14 workshops por região de desenvolvimento. Esses encontros permitiram aos atores locais trabalhar a percepção sobre temas gerais como o semiárido e a desertificação, além do significado e importância do zoneamento. “Os diálogos serviram de base para ampliarmos a discussão sobre aspectos específicos referentes a cada território e às questões ambientais associadas às dimensões sociais e econômicas do fenômeno”, acrescentou o secretário.

O dossiê faz parte da Política (Lei º 14.091/2010) e do Plano de Ação Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAE/PE). Em 2004, o Ministério do Meio Ambiente apresentou o Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAN Brasil). Em 2009, Pernambuco elaborou o seu programa, pactuando com a iniciativa federal. O Brasil é signatário da Convenção das Nações Unidas para o Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos das Secas (UNCCD).

Serviço

O que: Semas lança estudo sobre áreas suscetíveis à desertificação em Pernambuco
Quando: 04/03, às 10h.
Onde: Transmissão pelos canais YouTube/SemasPernambuco, YouTube/Sudenebr, YouTube/Embrapa.

Serviço

O que: Semas lança estudo sobre áreas suscetíveis à desertificação em Pernambuco
Quando: 04/03, às 10h.
Onde: Transmissão pelos canais YouTube/SemasPernambuco, YouTube/Sudenebr, YouTube/Embrapa.

Programação da Live

10h – Abertura
José Bertotti – Secretário de Meio ambiente e Sustentabilidade
Beatriz Lyra – Coordenadora-Geral de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente da Sudene
Pedro Gama – Chefe-Geral da Embrapa Semiárido

10h30 – Painel da Publicação: Zoneamento e Política de Adaptação e Resiliência do Semiárido, com o gerente de Resiliência do Semiárido da Semas-PE, Sérgio Azevedo.

10h40 – Painel da Publicação: A publicação como síntese do processo de construção do Zoneamento, com a coordenadora técnica da sistematização, Edneida Cavalcanti.

10h50 – Painel da Publicação: Mapeamento das Suscetibilidades, a coordenação Técnica do Projeto da Embrapa Semiárido, com Iêdo Bezerra Sá.

11h – Painel da Publicação: Zoneamento e Desenvolvimento Regional, com o coordenador de Desenvolvimento Territorial, Infraestrutura e Meio Ambiente da Sudene, Victor Uchôa Silva.