Objetivo do encontro é coletar contribuições de entidades, ONGs e interessados no tema para reverter o problema. Segundo estudo, 80% do lixo que está no mar tem origem no continente

Em webinário aberto ao público, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas/PE), em parceria com o Projeto TerraMar/Agência Giz, apresentarão, nesta quinta-feira (22), às 10h, o estudo sobre pontos de maior fluxo gerador de lixo no mar no estado. O levantamento foi realizado em 15 municípios litorâneos e detalhado para as prefeituras na semana passada. Agora, a intenção é debater com a sociedade civil o documento, cujo resultado a
ponta que 80% do lixo encontrado no mar tem como origem o continente. Serão coletadas contribuições de instituições, ONGs, pescadores, catadores e interessados no tema para a elaboração do Plano de Ação de Combate ao Lixo no Mar de Pernambuco (PACLM-PE).

De acordo com o superintendente de Meio Ambiente da Semas, Bertrand Alencar, todos os municípios analisados já destinam seus resíduos para aterros sanitários licenciados, mesmo assim está ocorrendo escapes de resíduos que acabam por chegar no litoral. A solução para esse problema passa pelo diálogo. “Diversas entidades da sociedade civil hoje já contribuem na redução da quantidade de resíduos sólidos que se destina ao mar. Então, a participação da sociedade civil organizada, aqui representada especialmente por catadores de materiais recicláveis, fóruns, ONGs, colônias e associações de pescadores artesanais que atuam no litoral de Pernambuco é fundamental no processo de elaboração do Plano de Ação Estadual de Combate ao Lixo no Mar”, disse.

A reunião virtual ocorrerá no âmbito do Fórum Pernambucano de Resíduos Sólidos e será transmitida pelo YouTube da Semas/PE. Na ocasião, Bertrand Alencar fará uma exposição contextualizando o cenário do problema do lixo no mar. Em seguida, será apresentado o levantamento pelos consultores técnicos e especialistas do Projeto TerraMar, Thilo Schmidt e José Renato Correia. O estudo compõe a etapa de diagnóstico para a elaboração do PACLM-PE, que visa garantir a preservação do bioma Costeiro Marinho local e o bem-estar da população.

O estudo envolveu a coleta de dados e visitas em campo aos municípios de Goiana, Itamaracá, Igarassu, Paulista, Olinda, Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca, Sirinhaém, Tamandaré, Barreiros, São José da Coroa Grande, Itapissuma e Rio Formoso. Foram mapeadas diversas situações que contribuem para a ocorrência de resíduos sólidos no litoral. Entre elas estão a acumulação de material nas praias, no leito e nas margens dos cursos d’água (acondicionados ou não); ocupações irregulares; retenção de material em mangues; resíduos ligados à atividade pesqueira; e mais. Documentou-se, ao todo, 624 pontos de fluxo de resíduos.

O estudo também evidenciou os tipos de resíduos mais encontrados. O posto de grande vilão dos oceanos continua com os plásticos flutuantes (garrafas, sacos de lixo, etc). Mas, a lista segue: máscaras usadas na prevenção da Covid-19, petrechos de pesca (descartados ou perdidos), cascas de mariscos, embalagens descartáveis de marmita (composta por isopor e/ou outros materiais), sacos de areia para contenção do mar, embalagens de óleo de motor, tinta, solvente e resíduos volumosos (móveis, pneus e entulhos).

Webinários – A Semas ainda realizará o terceiro encontro virtual, no próximo dia 29 de julho, dessa vez com representantes da iniciativa privada. Depois disso, será elaborada uma proposta do PACLM-PE a ser consolidada em oficina participativa e audiência pública, envolvendo todos os segmentos do governo e da sociedade. Esse documento, que deve ficar pronto ainda este ano, conterá informações georreferenciadas da origem do problema, além das propostas de ações integradas construídas de forma participativa entre estado, municípios, sociedade civil, população local, além de universidades e institutos de pesquisa voltados à conservação marinha.

Serviço
O que: Semas e Projeto TerraMar debatem sobre o levantamento de origem do lixo no mar com a sociedade civil
Quando: nesta quinta-feira (22), às 10h.
Onde: https://youtu.be/HiFJvytJ2zs