No dia em que a 27ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, COP27, tratou especialmente da temática energia, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas-PE) apresentou o avanço dos compromissos que haviam sido assumidos por Pernambuco durante a COP26, realizada no ano passado na cidade de Glasgow, na Escócia.

A secretária de meio ambiente, Inamara Mélo, que representa o Estado de Pernambuco na Conferência, participou de dois importantes eventos nesta terça-feira (15), para tratar especificamente do trabalho executado por Pernambuco na redução das emissões dos gases do efeito estufa, e das iniciativas elaboradas para potencializar a geração de energias renováveis no Estado.

Pernambuco, em termos de políticas públicas, está revisando o seu Atlas Eólico e Solar que, além do potencial de geração de energia em todo o Estado, traz informações determinantes para a atração de empreendimentos do setor. “Temos nos empenhado em avançar na regulamentação dos processos de licenciamento ambiental para a instalação dos empreendimentos de energia renovável, buscando uma maior transparência e celeridade no processo de instalação”, destacou a secretária estadual. 

Além disso, a gestora informou que já estão em curso editais para projetos de usinas solares  que poderão abastecer os prédios públicos. Pernambuco contará com uma Parceria Público-Privada (PPP) já contratada que vai reduzir consideravelmente as contas de energia da Companhia Pernambucana de Saneamento. “Somente para garantir o funcionamento do sistema de transposição do rio São Francisco, a Compesa gasta 3,6 milhões de dólares ao mês em energia. Com essa parceria, espera-se uma redução na ordem de 1 milhão. A PPP conta com investimentos de 9 milhões de dólares e implicará na criação de 700 empregos diretos e na redução de 18 mil toneladas de gás carbônico (CO2) emitidos por ano”, disse.

Inamara Mélo foi uma das painelistas do debate organizado pela Embaixada do Reino Unido no Brasil, cujo tema foi “De Glasgow a Sharm El-Sheikh: avanços na Campanha Race to Zero no Brasil e novos investimentos”. Momento em que foi possível discutir os avanços da campanha Race to Zero, que visa alcançar a neutralidade nas emissões de carbono até 2050. Um evento realizado para monitorar o cumprimento dos compromissos climáticos assumidos na COP26 em Glasgow. “Durante a apresentação, compartilhei o resultado de quatro anos de dedicação à ação climática. Apresentei o trabalho desenvolvido pelo Estado com a realização de dois inventários do carbono, atualizados com dados desagregados por município;  adesão ao projeto piloto STARRS que monitora as emissões através de imagens de satélite; e, claro, o lançamento do nosso Plano Estadual de Descarbonização”, contou Inamara.

O Plano Estadual de Descarbonização, lançado no início de 2022, teve um processo de  formulação que contou com destacada participação da sociedade pernambucana, da academia, e de diversos atores do setor produtivo. Foi possível definir ações e iniciativas que pudessem dar conta da trajetória de descarbonização até 2050. Foi elaborada, também, uma modelagem de cenários, contando com a priorização de medidas e com a análise de barreiras, entendendo o que estava posto como desafio. “Nosso Plano de Descarbonização foi elaborado a partir de quatro eixos estratégicos: energia, transporte, resíduos e de afolu. Ao todo, possui 12 medidas de mitigação, 45 soluções tecnológicas, 59 metas, 63 indicadores e 215 ações. É uma ação climática estruturadora não só para a política ambiental pernambucana, mas para toda a política de desenvolvimento do nosso estado. Ou seja, o Plano é abrangente e consistente. Com ele, pretendemos evitar 40 milhões de toneladas de emissões de CO2, ao ano, na atmosfera até 2050. Além de prevermos um incremento de 6% no PIB e a geração de 100 mil novos empregos no Estado”, explicou a gestora ambiental, que garantiu que Pernambuco segue comprometido com o avanço da descarbonização até 2050.