O município do agreste já decretou o encerramento do lixão, e inicia processo para instalação de centro de tratamento que envolve coleta seletiva, centro de compostagem, um viveiro de mudas para replantio e um destinação adequada de resíduos sólidos

A secretária de Infraestrutura e Meio Ambiente de Panelas, Jeisiane Isabela, informou em reunião com o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, que a gestão daquele município do agreste pernambucano decretou o fim do uso do lixão, seguindo as diretrizes definidas pelo Ministério Público de Pernambuco. Na reunião, a secretária apresentou ainda um projeto para a criação de um centro de tratamento concebido desde o início do governo do prefeito Ruben de Lima.

O projeto a ser criado em Panelas traz uma proposta inovadora, com um centro para educação ambiental, um galpão de triagem e outro espaço para tratamento de resíduos sólidos com base na coleta seletiva que está sendo implantada no município, integrado com a área de compostagem. Com isso, o município de Panelas se prepara para ser gestor das políticas públicas ambientais, que tem sido o foco do Governo de Pernambuco para fortalecer o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade – SISEMAS, a partir de iniciativas municipais como esta.

O secretário José Bertotti avaliou que a visita dos gestores de Panelas na Semas foi bastante produtiva. “Conheci o projeto que está completo, com tudo que uma estação de tratamento de resíduos sólidos deve ter e ainda mais, com um viveiro de mudas para garantir a cobertura vegetal das áreas degradadas. Então, Panelas não só encerra um lixão, como ainda apresenta um projeto inovador e muito viável financeiramente. Estão de parabéns os gestores daquela cidade, e posso garantir que terão meu total apoio em defesa do pleito junto ao Governo do Estado”, assegurou Bertotti.

O município de Panelas também contará com a instalação de um viveiro de mudas de árvores nativas para reflorestamento de áreas degradadas, e a recuperação de nascentes de rios, que receberá recursos do Edital nº 02/2021 do Fundo Estadual de Meio Ambiente. O viveiro será instalado no futuro aterro sanitário.

Participaram da reunião o engenheiro do município, Abelardo Eugênio, e o proprietário do terreno que será transformado em área de preservação, Carlos Carvalho.

 

foto: Pedro Caldas