Além da avenida a ser requalificada, diversas iniciativas de proteção ao meio ambiente estão previstas a partir da compensação ambiental do grupo JCPM

O secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti, participou na manhã desta terça-feira (19), juntamente com a prefeita de Sirinhaém, Camila Machado, do início das obras da avenida Hilda de Queiroz, localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) de Guadalupe, em Sirinhaém, litoral sul de Pernambuco. Esta avenida, que se conecta com a PE 09 é uma importante via que dará acesso à orla e faz parte do termo de compensação ambiental executado pelo grupo empresarial JCPM, resultado da aprovação da licença ambiental pela agência de meio ambiente do estado (CPRH), para a construção de um complexo turístico no local.

De acordo com o titular da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas), o JCPM com esta obra de pavimentação da Avenida Hilda de Queiroz, está cumprindo parte dos recursos do termo de compensação, gerado pelo licenciamento ambiental para a implantação do complexo turístico que prevê a construção de diversos empreendimentos na área, como um hotel, um clube e uma marina. A segunda parte restante do valor da compensação ambiental será investida em outras iniciativas a serem definidas no plano de atividades da CPRH, entre elas ações de educação ambiental, atualização do estudo de capacidade de carga da praia de Guadalupe e estudo do estoque pesqueiro do estuário do Rio Formoso e da Zona Marítima da APA de Guadalupe. Os recursos definidos no Termo de Compromisso de Compensação Ambiental são de R$ 4.263.456,53 ( quatro milhões, duzentos e sessenta e três mil, quatrocentos e cinquenta e seis reais e cinquenta e três centavos).

“Este empreendimento envolve mais de 30 programas de qualidade ambiental e a gente vê a importância de um empreendimento relacionado tanto com a geração de empregos como com o desenvolvimento sustentável e a preservação do meio ambiente, porque aqui tem muitos recursos naturais, manguezais, áreas protegidas e isso precisa ser direcionado para a população e para os turistas, desde que possam usufruir do melhor da natureza, preservando o meio ambiente”, afirmou José Bertotti.

Foto: Pedro Caldas