Secretário José Bertotti discutiu os preparativos para o evento que deve contar com diversas organizações e experiências exitosos de práticas sustentáveis

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, participou de mais uma reunião virtual para articular a realização da Conferência Internacional de Resíduos Sólidos, prevista para acontecer no Recife em março do próximo ano. O encontro, realizado na última terça-feira (13), por meio de videoconferência, trouxe como pauta, além dos preparativos para conferência – com mesas e temáticas ainda em construção, a questão do encerramento dos lixões no estado e projetos de combate ao lixo no mar.

Participaram desta agenda, diversos parceiros da iniciativa como o representante da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Gilberto Perre, a representante do Instituto de Cooperação Internacional para Meio Ambiente (Icima), Ana Paula Rodrigues, o presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Carlos Silva Filho, e técnicos das organizações.

Na ocasião, as instituições falaram sobre a elaboração de um roteiro para o fim dos lixões em conjunto com a ONU, projetos já desenvolvidos tanto em Pernambuco (a exemplo do de Ipojuca, de combate ao lixo do mar) como nos demais estados. Sempre com a perspectiva de buscar a infraestrutura mais adequada para recebimento dos resíduos.

Segundo Bertotti, a conferência enseja a oportunidade de tratar e debater os problemas que afligem as cidades com um olhar para o futuro. Ainda de acordo com ele, no estado, é possível encontrar desde lixões a centros de tratamento de resíduos como o de Goiana, que não deixam a desejar em relação a outros centros de tratamento do mundo. “A Semas juntamente com a Agência Estadual de Meio Ambiente – CPRH têm procurado apoiar diversas iniciativas das cidades no interior do estado, para uma melhor destinação de seus resíduos”, disse.

A conferência visa entre outros objetivos: fortalecer a construção das metas para o setor de resíduos do Plano de Descarbonização de Pernambuco, garantir as normativas da Política Nacional de Resíduos Sólidos de 2010 e  implementar mecanismos de inovação e gestão em nível multisetorial (governos, academia, sociedade civil e empresas).