Secretário visita unidade de abastecimento da Compesa em Fernando de Noronha

Primeira bateria de novos dessalinizadores de água já beneficia população com ampliação de serviços

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, visitou, nesta terça-feira (10), as instalações da unidade de abastecimento da Compensa em Fernando de Noronha. Acompanhado por representantes da instituição, o gestor foi conferir de perto o funcionamento da primeira bateria de novos dessalinizadores de água instalada para ampliação do serviço. Ao todo, o Governo do Estado está investindo mais de R$ 22 milhões no novo sistema de dessalinização da água do mar, na expansão dos reservatórios, da área de captação e da rede de distribuição local.

“O Governo de Pernambuco está fazendo uma série de investimentos em Noronha para cumprir a meta de abastecimento pleno de água e mais qualidade de vida para os ilhéus e para quem vem conhecer o arquipélago. São equipamentos mais modernos que vão garantir o abastecimento com equilíbrio ambiental e em consonância com o plano diretor da ilha”, disse Bertotti, ressaltando que a iniciativa resultará em um aumento de quase cinco vezes na oferta de água potável para a população.

Segundo Artur Santos, gerente Regional de unidade de negócios da Compesa em Noronha, a instalação da primeira bateria de maquinários já começa a proporcionar mais dias de água para os moradores. “Dentro das perspectivas desses investimentos, nós tínhamos um rodízio de um dia com água para oito sem. Agora, com um módulo operando, a perspectiva é de ter um dia com água para seis sem. Até agosto, isso ainda deve mudar para um dia com água e três sem. Mas, até o final do ano, a previsão é abastecimento diário”, detalhou.

Com a tecnologia de osmose reversa, o novo sistema de dessalinização, quando concluído, terá capacidade para produzir 72 metros cúbicos de água por hora (m³/h). O antigo sistema produzia 15 metros cúbicos por hora. O objetivo é que os dois sistemas operem de forma simultânea. A água dessalinizada em Fernando de Noronha corresponde a 30% do abastecimento do arquipélago, que é complementado com captação de água doce do Açude do Xaréu, tratada na Estação de Tratamento de Água da Compesa – ETA Noronha, e por poços artesianos.

Os investimentos na melhoria da segurança hídrica da ilha incluem ainda a implantação de outros serviços e a aquisição dos equipamentos necessários ao projeto. Também será adquirido um reservatório metálico com capacidade para mil metros cúbicos, que garantirá uma autonomia de até quatro horas de abastecimento da ilha, caso ocorra algum problema operacional. O projeto contempla também a aquisição de conjuntos moto-bomba para água do mar, com seus respectivos quadros de comando, e a implantação de quatro quilômetros de rede de distribuição para demandas futuras por água.