O gestor detalhou os investimentos ambientais de R$ 75 milhões, anunciados pelo governador Paulo Câmara na COP26 de Glasgow

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, cumpre intensa agenda nesta sexta, 10, em Petrolina, onde falou para empresários, prefeitos e gestores públicos da região do Sertão do São Francisco. Na pauta, assuntos relacionados à política de resíduos sólidos no Estado, e os desafios do enfrentamento das mudanças climáticas.

A agenda do secretário teve início às 7:50, quando concedeu entrevista ao vivo em uma emissora de rádio local. Em seguida, um café da manhã com o segmento empresarial de Petrolina e representantes da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), na sede do Senai/Fiepe no município, onde Bertotti coordenou uma reunião com este segmento para apresentar o Plano de Descarbonização e de Transição Energética do Estado.

Já às 9:30, o gestor de meio ambiente falou para prefeitos e gestores da região do Sertão do São Francisco. Na pauta, um importante problema da maioria dos municípios, a destinação correta dos resíduos sólidos, pois a maioria dos gestores dos municípios sertanejos enfrentam dificuldades com a falta de locais adequados para receber estes resíduos. Bertotti detalhou o plano estratégico da Semas, para criar centros regionais de triagem e tratamento de resíduos sólidos nos aterros sanitários, para atender aos municípios que ainda têm lixões.

“As prefeituras que ainda utilizam lixões não receberam o devido apoio do governo federal, e são muito cobradas pelo Ministério Público para resolver esta situação. Nós temos 43 lixões mapeados para serem remediados. Isto custa caro, mas sem precisar esperar o estudo técnico que leva muito tempo, vamos cumprindo as regras estabelecidas e fazer o que precisa. Dentre os investimentos ambientais anunciados na COP26 de Glasgow, estão os recursos de R$ 15 milhões para ajudar 43 municípios a encerrar os lixões que ainda existem, com sua remediação, além da instalação de galpões de triagem para separação do material reciclável, e 50 pátios de compostagem”, informou Bertotti.

‌Na ocasião, o secretário também detalhou os projetos que serão beneficiados com o restante dos 75 milhões de Reais, maior volume de recursos destinados ao meio ambiente da história de Pernambuco, anunciados pelo governador Paulo Câmara na Conferência do Clima de Glasgow, a COP-26, no início de novembro. Este aporte financeiro, segundo Bertotti, será empregado no programa de reflorestamento da principal área de Mata Atlântica do Estado, a APA Aldeia de Beberibe, para a recuperação de mil nascentes de rios em 50 municípios, e ainda para o apoio ao tratamento de resíduos sólidos, beneficiando 43 municípios que não ainda não contam com aterros sanitários.

Foto: Edilson Silva/Divulgação