Em Panelas, Semas firma parceria com Instituto Mata Viva com vistas à criação de um selo de uso sustentável para programa de reflorestamento de Pernambuco

Em visita técnica pelo interior do estado, o titular da Secretaria de Meio Ambiente de Pernambuco (Semas/PE), José Bertotti, participou de uma agenda na manhã desta sexta-feira, 25, na sede da Reserva Ecológica Instituto Mata Viva, no município de Panelas, Zona da Mata Sul do estado, para conhecer projetos ambientais e iniciativas de reflorestamento com vistas à construção de parcerias. Na ocasião, foi firmada uma parceria com vistas à criação de um selo de uso sustentável para o programa de reflorestamento de Pernambuco.

Na sede da Reserva Ecológica Instituto Mata Viva, localizado no Sítio Alfaiate, na zona rural da cidade de Panelas, Bertotti conversou com o seu fundador. O instituto, que conta com 25 anos de existência, foi fundado por José Everaldo Rodrigues da Silva, mais conhecido como Mata Viva. O fundador carrega o nome do instituto que tem como objetivo preservar a mata, reflorestar as áreas degradadas, recuperar as nascentes e disseminar a educação ambiental e cujo projeto não se restringe apenas a cidade de Panelas, mas contemplas várias regiões do estado. A sede do instituto traz um laboratório de pesquisa e conta com mais de 6 mil mudas de dezenas variedades de plantas nativas da mata atlântica.

“O Mata viva criou um espaço de educação ambiental com a promoção de reflorestamento e utilização de tecnologias a partir de sistemas agroflorestais que estão sendo montados por ele, que aplica aqui e desenvolve os estudos realizados em Agroecologia. Firmamos esta parceria por meio de um acordo de cooperação técnica, para que a partir dessa experiência e das avaliações que vamos fazer juntos, criar um selo de uso sustentável para o nosso programa de reflorestamento do estado de Pernambuco”, explicou o secretário da Semas.

“Essa parceria com a Semas é a chave para abrirmos grandes portas para o futuro e para sustentabilidade no nosso estado. Vamos trabalhar juntos para desenvolvermos a melhoria das nossas florestas, fazendo um manejo cuidadoso da nossa vegetação para que garantam a diminuição do aquecimento em nosso país”, afirmou José Everaldo.

A agenda do secretário pelo interior esta semana, incluiu também visita às Freiras da Casa do Bem Viver, que organizam a Feira Orgânica de Palmares e à barragem de Serro Azul, na ´última quinta-feira, 24. Na localidade, José Bertotti, ao lado de integrantes da associação de moradores de Serro Azul, apresentou projetos ambientais desenvolvidos pela Semas.

Tecendo Cidadania – Na quinta-feira, 25, em Palmares, o secretário da Semas visitou a Organização Não –Governamental Tecendo Cidadania, coordenada pelas freiras da instituição Casa do Bem Viver, responsáveis pelo projeto Casas da Vida – voltado para iniciativas sociais e agroecológicas. Na ocasião, foram apresentadas além de demandas ao secretário, iniciativas de três grupos de assentados que hoje desenvolvem trabalhos de cultivo com base em agroecologia, alguns deles, formados pelo curso técnico da organização Serta, realizado em parceria com o Governo do Estado.

Entre as solicitações encaminhadas ao secretário da Semas estava a celeridade na avaliação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) e apoio para capacitação e comercialização de produtos já produzidos pelos agricultores como batatas chips e mandioca. O resgate ao cultivo e preservação de abelhas nativas, atividades de preservação e educação ambiental, criação de um sistema de denúncia de queimadas e desmatamento, além de equipamentos para a instalação de um centro de inclusão digital também compuseram a relação de demandas entregues.

Serro Azul – Em Palmares também, Bertotti conheceu lideranças locais e conversou com o presidente da Associação de Moradores da Usina Serro Azul, Elson Silva. A comunidade visitada fica próxima à barragem Serro Azul, que abrange as bacias hidrográficas dos rios Una e Sirinhaém. A barragem cujo objetivo foi conter enchentes na Zona da Mata Sul foi construída após enchentes que atingiram a região em 2010.

“Eles apresentaram um conjunto de demandas que a gente vai analisar, como os Planos de Gestão de Qualidade Ambiental que foram assumidos pela Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos com o monitoramento da CPRH, e também demandas em relação a uma estrada de acesso de Serro Azul a Bonito, que está em de processo de licenciamento. A gente viu ali uma comunidade muito ativa, uma organização social muito forte e nós temos um compromisso que é a questão do reflorestamento, que estava previsto na época da construção da barragem e nós queremos colocar em prática, para garantir que ela não seja assoreada e que se recupere principalmente a cobertura vegetal florestal da região”, destacou Bertotti.

Foto: Pedro Caldas