A proposta deve ser analisada pela Semas, como uma das tecnologias a ser disponibilizada em Pernambuco, para contribuir com as demandas do Plano de descarbonização

Na busca por alternativas de diminuir a emissão de gases poluentes, buscando um sistema de produção sustentável no estado, o titular da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas/PE), José Bertotti, realizou, no ´último dia 21, uma visita à estação experimental de variedade de cana-de-açúcar de Carpina, pertencente a Universidade Federal Rural de Pernambuco-UFRPE, para a avaliação de um projeto proposto pelo departamento de ciência florestal da universidade que prevê o reflorestamento de áreas degradadas pelo cultivo de cana de açúcar com o plantio de árvores como o eucalipto.

A inciativa busca a recuperação da cobertura vegetal, produção de energia por meio do uso sustentável de madeira e sequestro de carbono, reduzindo a emissão do gás poluente na atmosfera, um dos responsáveis pelo aquecimento global e por alterações relacionadas às mudanças climáticas.

“A expectativa é que a parceria com a Semas avance para que a gente possa reaproveitar áreas abandonadas pelo plantio de cana de açúcar. O eucalipto é a essência florestal de mais rápido crescimento e a espécie que mais sequestra carbono e pode contribuir para a descarbonização no estado”, explicou o professor do departamento de ciência florestal da UFRPE, José Antônio Aleixo da Silva, responsável pela coordenação do projeto. A UFRPE integra a Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético – Ridesa, criada em 1990 para dar continuidade ao programa de melhoramento da cultura da cana-de-açúcar, antes realizado pelo extinto Planalsucar.

Conforme o secretário José Bertotti, a iniciativa está em sintonia com o que foi concebido pela Semas, como base no Plano de Descarbonização de Pernambuco. “O professor Aleixo apresentou um projeto de pesquisa que pretende formar doutores, mestres e alunos em graduação nessa área de estudo, dentro de uma Estação Experimental que já demonstrou grande capacidade de contribuição de pesquisa para melhoramento de atividades econômicas sustentáveis no Brasil. Nós da Semas, vamos analisar a projeto, colocando isso como uma das tecnologias que estão sendo desenvolvidas em Pernambuco dentro do Plano de Descarbonização do Estado,” informou Bertotti.

Foto: Pedro Caldas