O Secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti, se reuniu na tarde desta segunda-feira(25), por videoconferência, com a pesquisadora Márcia Vanusa da Silva, do Núcleo de Bioprospecção da Caatinga( NBioCaat), da UFPE, para discutir perspectivas de investimento para a cadeia produtiva do licuri, responsável por um novo fármaco com propriedades cicatrizantes, feito a partir do óleo de licuri, semelhante ao óleo de girassol. A palmeira licuri, também conhecida como ouricuri, é encontrada em muitos territórios da Caatinga. Além desta utilidade farmacológica, ainda serão discutidas as várias possibilidades de uso deste produto.

Nesta planta, tudo se aproveita: As folhas do licuri são utilizadas também no artesanato como na fabricação de sacolas, chapéus, vassouras, espanadores, entre outros. Já a semente produz um óleo utilizado na culinária, similar ao óleo de coco, sendo também utilizado na fabricação de sabão. A amêndoa é também utilizada em doces, como a cocada, além de licores e do leite de licuri. Os resíduos da extração do óleo da amêndoa são empregados na alimentação animal.

Foto: Lu Rocha/ Semas