Evento contará com a participação dos secretários José Bertotti (Meio Ambiente) e Lucas Ramos (CT&I), do presidente da Facepe, Fernando Jucá; representantes da Marinha do Brasil; CPRH; UFPE e Unicap.

Os primeiros resultados das pesquisas sobre impacto do derramamento de petróleo no litoral do estado começam a ser apresentados, nesta terça-feira (15), às 10h, em um webinário. O encontro é promovido pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (Facepe) e traz estudos nas áreas de biológicas, engenharias e oceanografia. Além dos pesquisadores, a live conta com a participação dos secretários José Bertotti (Meio Ambiente) e Lucas Ramos (CT&I), do presidente da Facepe, professor Fernando Jucá (Facepe); de Janice Trotte-Duhá (Marinha do Brasil); Djalma Paes (CPRH); Moacyr Araújo e Beatrice Padavani (ambos da UFPE).

Para o secretário de Meio Ambiente, José Bertotti, esse é um primeiro momento de troca entre os pesquisadores e os gestores públicos sobre os efeitos e os desafios a serem enfrentados após o crime ambiental cometido no litoral. “Vamos apresentar o relatório final das ações emergenciais realizadas e, de mãos dadas com a ciência, entender as consequências do crime ocorrido e os desafios que ainda podemos enfrentar. Tratamos o assunto com a responsabilidade e seriedade que merece. Afinal, na época, as manchas já geraram um grande impacto na fauna e flora marinhas, em áreas protegidas, assim como na economia do turismo, da pesca artesanal e na vida população”, afirmou.

Serão apresentados três estudos desenvolvidos por pesquisadores da UFPE e da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). Todos receberam recursos do edital 22/2019, lançado em outubro do ano passado, com o objetivo de dimensionar os impactos ambientais e averiguar os efeitos da contaminação na região costeira. Em Pernambuco, as manchas de petróleo cru afetaram 48 praias e oito rios, sendo retiradas 1.650 toneladas de resíduos oleosos dessas localidades. O material foi destinado a um aterro industrial localizado em Igarassu, na Região Metropolitana do Recife.

Das pesquisas a serem divulgadas, duas focam suas análises em questões envolvendo o ecossistema manguezal. A pesquisadora Galba Takaki, da Unicap, averiguou os impactos do petróleo no ecossistema manguezal de Rio Formoso. Já o doutor em Física do Solo Antônio Celso Antonino, da UFPE, direcionou suas investigações para a persistência, mobilidade e impacto de hidrocarbonetos em solos/sedimentos nas áreas estuarinas e nos manguezais. Também UFPE, Sigrid Leitão comandou estudos voltados à permanência do resíduo na água e seu impacto na base da teia alimentar na costa.

Edital – O Governo do Estado está investido de cerca de R$ 2,4 milhões em pesquisas ligadas à crise do petróleo e suas consequências. Doze projetos foram selecionados, em dezembro do ano passado, para receber o apoio financeiro. Os temas variam de estudos sobre o impacto nos ecossistemas costeiros, como manguezais e recifes, até pesquisas sobre os efeitos na saúde dos pescadores. De acordo com as regras do certame, cada proposta pôde solicitar até R$ 200 mil, para um prazo de um ano.

 

PROGRAMAÇÃO

10h – Solenidade de Abertura

“Contextualização do fato derramamento de óleo no litoral nordeste do Brasil, 2019”, pelo presidente da Facepe, prof. Fernando Jucá.

“Ciência e Tecnologia para o enfrentamento dos desastres ecológicos”, pelo secretário Estadual de CT&I, Lucas Ramos.

“Papel do Governo do Estado na mitigação do desastre ecológico do derramamento de óleo, em 2019”, pelo Secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti.

“Derramamento de petróleo, causas e medidas preventivas”, por Janice Trotte-Duhá, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha do Brasil.

“Consequências do derramamento do óleo no litoral pernambucano, 2019”, pelo presidente do CPRH, Djalma Paes.

 

Palestra

 

10h50 – “Uma estratégia para redução da vulnerabilidade e dos efeitos de eventos futuros e derramamento de óleo no litoral nordeste”, com Vice-reitor da UFPE, Moacyr Araújo.

 

11h10 – “Possíveis alterações nos animais marinhos em consequência do derramamento de óleo, 2019”, com a professora de Oceanografia da UFPE Beatrice Padavani.

 

Apresentação de Projetos

 

11h30 – Biológicas: Avaliação dos impactos ambientais mediados pela contaminação por petróleo no ecossistema manguezal de Rio Formoso, Pernambuco, Brasil. Pesquisadora: Galba Maria de Campos Takaki (Unicap)

 

11h40 – Engenharias: Hidrocarb-mobilis-pe – Hidrocarbonetos: persistência, mobilidade e impacto em solos/sedimentos de estuário/manguezal do litoral de Pernambuco. Pesquisador: Antônio Celso Dantas Antonino (UFPE)

 

11h50 – Oceanografia: Monitoramento de petróleo na água e seu impacto na base da teia alimentar na costa de Pernambuco: implicações ecológicas. Pesquisadora: Sigrid Neumann Leitão (UFPE).

 

12h – Encerramento