Promovida pela SEMAS, a oficina contou com a participação de moradores, organizações locais, ambientalistas, donos de propriedades, pesquisadores, lideranças comunitárias e gestores

A preocupação constante com a conservação das Unidades de Conservação (UCs) estaduais, fez com que mais de 30 pessoas comparecessem, nesta terça-feira (29), ao auditório da Estação Cidadania, no Cabo de Santo Agostinho, para participar da Oficina de Diagnóstico Participativo do Agrupamento Sistema Gurjaú. Durante o encontro, os participantes discutiram, junto com a equipe do Programa UC Pernambuco, a realidade dos Refúgios da Vida Silvestre Mata do Sistema Gurjaú, Mata do Bom Jardim, Mata do Engenho Salgadinho, Mata de Caraúna e Mata de Contra Açude.

Promovido pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS), o evento contou com a presença de moradores, organizações locais, ambientalistas, donos de propriedades, pesquisadores, lideranças comunitárias e gestores. Os participantes aproveitaram para trocar informações importantes com a equipe do Programa, que servirão de subsídios para fazer um levantamento mais consistente das principais características socioambientais, assim como as problemáticas e potencialidades de cada UC.

Para essas cinco Unidades de Conservação, que estão localizadas nos municípios do Cabo de Santo Agostinho, Jaboatão dos Guararapes e Moreno, o Programa UC Pernambuco propõe, além dos Diagnósticos Socioambientais Participativos, a elaboração de Planos de Manejo, abordagens sobre Conselhos Gestores e indicações de oportunidades de corredores ecológicos. O Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) é organização contratada para executar o Programa e, neste Agrupamento, conta com a parceria da Associação Plantas do Nordeste (APNE) para trabalhar a mobilização social e os diagnósticos, que darão base para as demais etapas do projeto, apontando elementos fundamentais para os Planos de Manejo de cada UC.

MATA DO SISTEMA GURJAÚ – Possui uma área total de 1.077,1 hectares e está localizada na Região Metropolitana do Recife, abrangendo os municípios de Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho e Moreno. Além de ser uma das maiores UCs de proteção integral da RMR, está situada em bacia de proteção de mananciais, detendo em seu interior mais de 200 nascentes. A unidade possui também um elevado grau de relevância para a conservação do bioma Mata Atlântica, sendo considerada de extrema importância biológica para o Nordeste e incluída no Atlas da Biodiversidade de Pernambuco como área prioritária, despertando grande interesse da comunidade científica para pesquisas sobre a diversidade biológica do Estado.

MATA DO BOM JARDIM – O RVS está localizado no município de Cabo de Santo Agostinho e conta com 245,28 hectares de área total. Situado ao sul da sede do Engenho Jacobina, entre o Rio Gurjaú e o riacho da Mata, a UC está inserida na bacia hidrográfica do Rio Tejipió.

MATA DO ENGENHO SALGADINHO – O Refúgio de Vida Silvestre está localizado no município de Jaboatão dos Guararapes e possui uma área de 257 hectares. Situa-se a sudeste de Muribeca dos Guararapes, inserido na bacia hidrográfica do Rio Jaboatão.

MATA DE CARAÚNA – Possui 173,55 hectares de área total e está localizada no município de Moreno. Encontra-se a nordeste da Mata do Sistema Gurjaú, entre a estrada de ferro e o rio Gurjaú, e está inserida na bacia hidrográfica do Rio Pirapama.

MATA DE CONTRA AÇUDE – O Refúgio de Vida Silvestre Mata de Contra Açude encontra-se localizado no município do Cabo de Santo Agostinho e possui uma área de 114,56 hectares. A mata situa-se a nordeste da Usina Bom Jesus e está inserida na bacia hidrográfica do Rio Pirapama.

PROGRAMA – O Programa UC Pernambuco é uma iniciativa da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) e recebe recursos provenientes da compensação ambiental arrecadados pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), órgão responsável pelo gerenciamento das Unidades de Conservação no Estado. O objetivo é a promoção de soluções integradas no que diz respeito à gestão ambiental de UCs. Ao todo, serão contempladas 47 Unidades, distribuídas por 35 municípios, localizadas em áreas dos biomas Caatinga e Mata Atlântica e ecossistemas associados, que estão divididas em agrupamentos para execução do Programa.

Texto e fotos: Hugo Figueirêdo/ ITEP