Os trabalhos no “Agrupamento Litoral Sul” contemplam a Área de Proteção Ambiental (APA) de Guadalupe, APA de Sirinhaém, APA Marinha Recifes-Serrambi, APA Estuarina do Rio Formoso, APA Estuarina do Rio Carro Quebrado e a APA Estuarina dos Rios Sirinhaém e Maracaípe

 

O Programa UC Pernambuco entra em uma das fases mais importantes de sua execução. Chegou a hora de discutir, junto com a população, sobre a realidade das Unidades de Conservação (UCs) que estão sendo trabalhadas no âmbito do Programa, por meio das Oficinas de Diagnósticos Socioambientais. A primeira delas será realizada na próxima terça-feira (07), envolvendo seis UCs localizadas nos municípios de Tamandaré, Sirinhaém, Rio Formoso, Barreiros e Ipojuca. O evento, promovido pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), acontece no auditório do Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Nordeste (CEPENE), em Tamandaré, a partir das 8h30. O evento tem limite de participantes e os interessados devem enviar e-mail para ucpernambuco@itep.br.

As Oficinas de Diagnósticos servem para dar voz e vez aos atores sociais envolvidos direta ou indiretamente com as Unidades de Conservação, como moradores, pescadores, agricultores, empreendedores locais, ambientalistas, pesquisadores, lideranças comunitárias, gestores e entidades representativas do poder público e da sociedade civil. A troca de informações com a sociedade vai propiciar à equipe do Programa fazer um levantamento das principais características socioambientais, assim como as problemáticas e potencialidades de cada UC.

Para o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, a participação de todos os envolvidos é de grande importância, pois os resultados que serão obtidos nos encontros subsidiarão a atualização e criação dos Planos de Manejo dessas Unidades. “Vivemos numa democracia, portanto nada mais justo que escutarmos e discutirmos junto com as pessoas que vivenciam o dia a dia nessas áreas para se chegar a um denominador comum que contemple a todos da melhor maneira possível, mas sempre com o objetivo de garantir a proteção e o desenvolvimento sustentável de nossas Unidades de Conservação”, completou Bertotti.

Os trabalhos no “Agrupamento Litoral Sul” contemplam a Área de Proteção Ambiental (APA) de Guadalupe, APA de Sirinhaém, APA Marinha Recifes-Serrambi, APA Estuarina do Rio Formoso, APA Estuarina do Rio Carro Quebrado e a APA Estuarina dos Rios Sirinhaém e Maracaípe. No caso da APA de Guadalupe, que já possui Conselho Gestor e Plano de Manejo, será realizada a atualização do diagnóstico socioambiental e do instrumento de gestão, enquanto para a APA Marinha e a APA de Sirinhém serão elaborados os Planos de Manejo.Já para as APAs Estuarinas será realizada, apenas, a etapa de diagnósticos.

De forma articulada com o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), organização contratada para executar o Programa, o Instituto Recifes Costeiros (IRCOS) é a instituição que está responsável pela mobilização social e por trabalhar os diagnósticos, que subsidiarão as demais etapas do projeto, apontando elementos fundamentais para os Planos de Manejo de cada UC.

ALDEIA – O convite para a segunda Oficina de Diagnóstico Participativo já está feito. No próximo dia 09 de dezembro (quinta-feira), será a vez de ouvir e discutir com aquelas pessoas e instituições envolvidas com a APA Aldeia-Beberibe, que abrange os municípios de Recife, Camaragibe, Paulista, Abreu e Lima, Igarassu, Araçoiaba, São Lourenço e Paudalho; e com o Refúgio da Vida Silvestre (RVS) Mata de Miritiba, localizada em Abreu e Lima. O encontro será realizado no Auditório do Parque dois Irmãos, a partir das 8h30.

Os resultados dessa oficina subsidiarão a atualização do Plano de Manejo da APA Aldeia-Beberibe e a elaboração do Plano de Manejo do RVS Mata de Miritiba. Os interessados em participar do evento devem enviar e-mail para ucpernambuco@itep.br. A execução do Programa UC Pernambuco é do Itep e, neste agrupamento, conta com a parceria do Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste (CEPAN).

PROGRAMA – O Programa UC Pernambuco é uma iniciativa da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) e recebe recursos provenientes da compensação ambiental arrecadados pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), órgão responsável pelo gerenciamento das Unidades de Conservação no Estado. O objetivo é a promoção de soluções integrados no que diz respeito à gestão ambiental de UCs. Ao todo, serão contempladas 47 unidades, distribuídas por 35 municípios, localizadas em áreas dos biomas Caatinga e Mata Atlântica e ecossistemas associados, que estão divididas em agrupamentos para execução do Programa.

Foto: CPRH

Serviço:

07/12 – Oficina de Diagnóstico Socioambiental – Agrupamento Litoral Sul
Hora: a partir das 8h30
Local: Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Nordeste (CEPENE) – Rua Samuel Hardman, s/n – Tamandaré/PE