É um programa que visa orientar as ações públicas voltadas para o plantio florestal com a finalidade de manter e recuperar os ecossistemas em geral. Que garantam a provisão de serviços ecossistêmicos e ambientais importantes para as populações e para as atividades econômicas em âmbito regional.

A iniciativa da SEMAS/PE foi apresentada aos gestores de secretarias e órgãos estatuais em março de 2020, num encontro onde foram levantados informações e dados que tinham como objetivo subsidiar a iniciativa e somar esforços de forma articulada dentro da administração pública estadual.

O Programa tem como objetivo o replantio de 3,5 milhões de árvores. A ideia é manter, recuperar e ampliar a cobertura vegetal de Pernambuco, estimulando a cultura da restauração ecológica e de práticas sustentáveis, contribuindo para a geração de oportunidades socioeconômicas para produtores rurais, a segurança alimentar, a sustentabilidade ambiental e o fortalecimento das relações sociais.

As ações seguirão quatro princípios norteadores:  ambiental, social, econômico e cultural, considerando as seguintes estratégias de implantação: 

-Formação, capacitação e disseminação, com base nos princípios da educação ambiental;

-Pagamento por serviço ambiental;

-Gestão e monitoramento;

-Mapa de áreas prioritárias;

-Captação de recursos;

-Articulação institucional;

-Fomento à produção;

-Fomento ao plantio;

-Engajamento e participação, com base nos princípios da educação ambiental.

O Programa prevê, na sua metodologia de implantação, uma estrutura de funcionamento composta por um Núcleo de Gestão Institucional, formado por representantes da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Instituto Agronômico de Pernambuco, Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos, Agência Pernambucana de Águas e Clima, Companhia Pernambucana de Saneamento e Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Pernambuco. 

Conta também com o apoio de um Comitê de Acompanhamento formado por representantes das secretarias/órgãos, universidades e Organizações Não Governamentais, além de equipes executiva, de assessoria e de apoio técnico. 

Os recursos previstos para a primeira etapa do Programa, com a implantação de 6 projetos, são da ordem de R$ 300 mil, a serem captados por meio de edital do Fundo Estadual de Meio Ambiente – Fema, tendo como objeto a restauração florestal de áreas degradadas ou em processo de degradação em áreas de nascentes a partir de implantação de Sistemas Agroflorestais (SAFs) nos Biomas Caatinga e Mata Atlântica.

 

Confira o programa completo: clique aqui.