aula magna

Acompanhado por mais de 80 pessoas, o evento on-line contou com a participação do secretário da Semas, José Bertotti

A Política Ambiental desenvolvida pelo Governo de Pernambuco foi apresentada, na noite desta terça-feira (23), durante a aula magna do primeiro semestre de 2021, da Faculdade Frassinetti do Recife – Fafire. Com o tema “O meio ambiente e seus principais desafios no Brasil e no Mundo”, o evento – realizado por meio de videoconferência – contou com palestras do secretário Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti; e do professor e doutor em Direito Ambiental Terence Dornelles. O ato foi acompanhado por mais de 80 pessoas, sendo coordenado pela diretora da Fafire, Irmã Maria das Graças; e pela coordenadora da instituição, Adriana Moura.

Ao declarar aberto o ano letivo da instituição, Irmã Maria das Graças destacou a importância de se refletir sobre os tempos atuais e convocou a todos a fazerem parte de um tempo de transformação para mais cuidado com as pessoas e com a natureza. “Vivemos um momento em que somos todos convocado a cuidar de si e do outro. Façamos desse momento, um momento de reflexão, socialização e crescimento coletivo e social. Um momento em que possamos ampliar nossa contribuição na construção de uma sociedade mais justa e fraterna, cuidando do meio ambiente”, disse a diretora, agradecendo a participação dos palestrantes que foram compartilhar seus conhecimentos com todos os presentes.

Em sua exposição, Bertotti destacou que Pernambuco é uma das regiões mais vulneráveis do Brasil às mudanças do clima e possui hoje 135 municípios em áreas suscetíveis ao processo de desertificação, o que corresponde a 90,68% do território do Estado. A Política Estadual de Enfrentamento às Mudanças Climáticas, segundo ele, é uma das legislações mais modernas do País e essas leis norteiam uma série de ações nas áreas de gerenciamento costeiro, combate à desertificação, redução de CO2, educação ambiental, ampliação de área de preservação ambiental.

Bertotti lembrou ainda que a Política Ambiental de Pernambuco também envolve a participação dos setores produtivos, academia e sociedade civil. “O Governo do Estado tem um papel importante ao desenvolver instrumentos para enfrentar as Mudanças do Clima, como legislações, o processo adequado de licenciamento, inventário de gases do efeito estufa, criação de unidades de conservação, entre outras iniciativas. Mas, essa política também conta com a participação efetiva, em especial por meio do Fórum Pernambucano de Mudanças do Clima, das empresas, pesquisadores, universidades e ONGs. E isso tem sido fundamental”, concluiu o gestor da Semas.