Parque de Dois irmãos vai transferir a Ursa Parda para São Paulo

O Zoológico do Recife se dedicará a atividades de conservação da fauna nativa. Operação envolverá técnicos do Zoológico do Recife e da instituição paulista que receberá a grandona

Úrsula – como é carinhosamente chamada a ursa parda (Ursus arctos) do Parque Estadual de Dois Irmãos – está de viagem marcada. Nesta sexta-feira (24), o parque iniciará o processo de transferência dela para o Rancho dos Gnomos, entidade mantenedora de vida selvagem, localizada em São Paulo. A iniciativa marca mais uma etapa da implantação do novo Plano Diretor do Zoológico do Recife, anunciado em abril deste ano e que definiu o equipamento como uma instituição conservacionista cuja atividades vão apoiar a preservação da fauna nativa da Caatinga, Mata Atlântica e as zonas de transição da Mata Atlântica (ecótonos de cerrado e campos sulinos).

“Ao longo desses anos, lutamos e cuidamos de cada vida, de cada morador do zoo. Somos uma família e Úrsula é muito especial para todos nós. Por isso, envolvemos de cuidado a escolha da sua nova casa e, mesmo depois da transferência, vamos seguir acompanhando sua vida. Mas, estamos certos da nova missão que temos junto à preservação da biodiversidade local”, afirmou a coordenadora da Divisão de Veterinária e Biologia do Parque, Fernanda Justino. Ela enfatizou que, assim como no mundo, Pernambuco enfrenta ameaças crescentes devido à mudança do clima, à degradação do habitat natural, e ao comércio ilegal da vida selvagem. Por isso, o zoo passa por mudanças para se dedicar mais à proteção da fauna nativa.

A operação de transferência terá início, por volta das 10h, com a chegada do caminhão ao Parque, trazendo o equipamento para transporte da ursa. O espaço será acoplado a uma área de repouso do animal, por trás da área do recinto. Úrsula será estimulada a entrar no ambiente com a oferta de seus alimentos preferidos e por comandos dados por técnicos que reconhece. Esse processo não tem tempo determinado para ser concluído e pode chegar a durar horas. A expectativa é que ela entre na caixa ainda na sexta e siga viagem para a sede da instituição, em Cotia, São Paulo. Técnicos da equipe do Rancho dos Gnomos acompanharão Úrsula durante a viagem para garantir seu bem-estar.

Nascida em 1º de julho de 2001 no Zoológico de Goiana, a grandona chegou ao Recife em abril de 2003, acompanhada de seu irmão mais velho Zé Colmeia – falecido em maio deste ano. Embora fossem parentes e vindos da mesma organização, eles só passaram a conviver no mesmo recinto aqui, após um bem-sucedido processo de aproximação realizado pela equipe técnica do parque. Querida pelos pernambucanos, Úrsula sempre passou a maior parte do tempo brincando com Zé Colmeia ou interagindo com elementos e atividades proporcionadas por biólogos, veterinários e tratadores.

“Muito saudável, Úrsula é curiosa, alerta e ativa. Sempre interage bem com praticamente todo tipo de enriquecimento ambiental. Tem temperamento calmo, porém forte. Nossa relação com ela é ótima, o que nos permitiu – durante todo esse tempo juntas – fazer avaliações clínicas e eventualmente tratar situações, como pequenos cortes ocasionados pelas brincadeiras dela com o irmão ou tratamentos orais, só com manejo cooperativo, sem precisar o uso de contenção química, que é a anestesia”, conta Fernanda Justino que acompanha o animal há 10 anos.

Xodó da equipe, Úrsula vivencia, duas vezes por dia, enriquecimentos ambientais (técnicas de estímulos adequados para que a espécie possa expressar seus comportamentos típicos e naturais, além de alcançar estados de bem-estar positivos). Acompanhada de perto pelo zootecnista Rodrigo Pessoa também há 10 anos, a alimentação dela é bem balanceada e repleta de “guloseimas” naturais que mais a agradam. “Buscamos agradar ao máximo. Ela é bem seletiva e muda um pouco as preferências de tempos em tempos. Hoje, a preferência dela é maçã, melancia e peixe. E claro, o que não muda com o tempo: o mel. Ela ama mel”, detalha Fernanda.

Para gerar mais conforto ao animal, o Parque de Dois Irmãos chegou a realizar várias intervenções no recinto que hoje possui 223,2 m2. O ambiente possui uma área de exibição (com tanque para banho, caixa de areia, jiraus – plataformas de madeira para enriquecer o ambiente – e diversos elementos), cambiamento e área de descanso interna não visível ao público (com amplo espaço e outro tanque de banho). O cambiamento foi refrigerado para proporcionar conforto térmico, apesar de os animais preferirem permanecer sempre em ambientes não climatizados.

Novos animais – Seguindo o novo Plano Diretor, o Zoológico do Recife – administrado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas/PE), já recebeu, este ano, 19 animais silvestres. Foram quatro tucanos (Ramphastidae), dois tamanduás-mirins (Tamandua tetradactyla), três furões (Galictis cuja), dois quatis (Nasua nasua), duas Iguanas e seis serpentes. Todos são nativos dos biomas Mata Atlântica e Caatinga. Eles vieram do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Salvador, na Bahia, e do Projeto Selva Viva, em São Paulo.

Fotos: Lu Rocha/ SemasPE