No seminário “Mulheres na Política: Desafios e Estratégias”, que aconteceu em Afogados da Ingazeira, a secretária Inamara Mélo apresentou sua experiência como gestora nas políticas públicas de meio ambiente

“Mulheres na Política: Desafios e Estratégias”. Este foi o tema do seminário que aconteceu nesta quarta-feira (27/04), das 8h às 16h, em Afogados da Ingazeira (PE). O evento foi promovido pela Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú, por meio do Projeto Mulheres do Sertão Fortalecendo Estratégias de Incidência na Política. A secretária estadual de Meio Ambiente em exercício, Inamara Mélo, participou da programação apresentando a sua experiência como gestora estadual considerando desafios e aprendizados nesse espaço para inserção das mulheres nas políticas públicas de meio ambiente, falando sobre ecofeminismo e trazendo reflexões sobre a condição feminina em seus contextos ambientais.

Secretária Inamara Mélo no seminário “Mulheres na Política: Desafios e Estratégias”

“Para nós foi uma grande satisfação receber este convite da Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú, porque a gente busca imprimir por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade aquilo que é um aprendizado de toda uma vida: a gente sabe que a questão do empoderamento feminino e da equidade de gênero é uma pauta que tem tudo a ver com sustentabilidade, com o desenvolvimento sustentável. A busca pela equidade de gênero é parte dos 17 compromissos da Agenda 2030 de Sustentabilidade da ONU. Em qualquer que seja o espaço onde a gente atua, a gente precisa atuar pela promoção da igualdade, do respeito às mulheres, do empoderamento feminino. Nenhuma cidade, nenhum estado será justo, se a gente não tiver a participação das mulheres. A gente entende que promover a sustentabilidade é promover também o empoderamento feminino e a igualdade, e isso envolve o bem estar e a qualidade de vida do nosso povo”, enfatizou Inamara Mélo.

O encontro aconteceu no auditório da Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú

O evento discutiu também a participação das mulheres nas eleições municipais de 2020, bem como no âmbito da política local, regional e nacional, ressaltando os seus desafios e aprendizados no cenário político. “É uma batalha muito grande. A opressão em que as mulheres são submetidas é a mais antiga conhecida pela humanidade. Nas últimas décadas, nós temos visto que as mulheres estão ocupando mais os espaços, e é preciso sim comemorar isso, mas todas essas conquistas são muito recentes. A gente observa que o voto feminino sequer completou 100 anos no Brasil. Quando a gente pega todos os dados relacionados à representação de mulheres no parlamento, são muito pequenos. São poucas as mulheres governadoras, deputadas. Então a gente tem uma grande batalha a enfrentar. A gente precisa ter a compreensão de que todos os espaços de atuação, a gente tem que ir promovendo para mais mulheres e de que não existe uma luta sexista, existe a necessidade de estar ombro a ombro com os homens e ter de forma tranquila essa ocupação, essa divisão de tarefas (tanto na vida pública como privada), esse ambiente harmonioso entre todos nós para a gente ter uma sociedade mais justa “, lembra Inamara Mélo.

No seminário também foi debatida a questão do enfrentamento à violência contra a mulher no município e região, na qual foram abordadas tanto a violência doméstica quanto a institucional. A Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú, que promoveu o seminário, foi uma das organizações contempladas pelo Edital FEMA 01, criado para dar suporte a projetos pilotos de reflorestamento de nascentes a partir de sistemas agroflorestais, em áreas degradadas ou em processo de degradação na região dos biomas de Mata Atlântica e Caatinga. Trata-se de uma organização composta por 26 grupos de mulheres agricultoras e artesãs de 11 municípios do Sertão do Pajeú.

“Este encontro foi um momento de partilha, de aprendizado e de se esperançar para que a gente possa construir políticas públicas mais solidárias e que atenda a todos e a todas sem distinção. Veio promover um reencontro das mulheres e fortalecer a rede e as ações aqui no território junto às organizações parceiras e aos organismos públicos, como é o caso da Semas. A gente está muito feliz por, depois de dois anos de pandemia, poder juntar essas mulheres num momento tão especial, tão necessário, que é a valorização e a participação das mulheres na política. E esse debate foi fundamental, porque trouxe experiências vivenciadas por mulheres que já estão nesse processo, quantitativos, reflexão sobre o quanto é importante as mulheres participarem do processo político eleitoral, contribuírem trazendo as suas demandas sobre o que elas pensam dessa participação na política, sobre a nossa responsabilidade com a política pública, com a construção das incidências políticas. E a Rede tem feito esse papel de pautar temáticas importantes como a violência contra a mulher, a mulher na política, a valorização do trabalho das mulheres por meio dos quintais produtivos, da produção agroecológica e comercialização solidária. Ouvir a secretária Inamara Mélo traz uma esperança de que isso é possível, a sua experiência nos provoca a transformar as nossas vidas, a estar nestes espaços falando de política e nos inserindo nessa política, a fazer com que mais mulheres entrem na política e se inspirem em outras mulheres”, concluiu Apolônia Gomes, técnica em Agroecologia e coordenadora pedagógica da Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú.

Fotos: Acervo Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú