Terreno doado há cerca de 20 pelo Governo do Estado para a extração de barro já começa a apresentar sinais de escassez da matéria-prima

No Alto do Moura, em Caruaru, a preocupação com o risco da escassez do barro de argila e a possibilidade de extração da matéria-prima em novas áreas pautou o encontro, nesta quarta (03), do secretário estadual de Meio Ambiente, José Bertotti, com artesãos, lideranças políticas, gestores e técnicos ambientais no Alto do Moura. O lugar é considerado um dos mais importantes centros de artes figurativas das américas e a associação local de artesãos, por meio do gabinete da deputada Laura Gomes, solicitou apoio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) diante da necessidade de matéria-prima para a elaboração das peças artesanais.

Conforme o gestor da Semas, o terreno doado, há cerca de 20 pelo Governo do Estado para a extração de barro, já começa a apresentar sinais de escassez e o encontro trouxe a oportunidade de reunir vários atores governamentais, integrantes da associação dos artesãos do Alto do Moura, além de profissionais da área de meio ambiente. O intuito foi a construção de alternativas, por meio de um Grupo de Trabalho (GT), diante da escassez do barro de argila e em torno de iniciativas sustentáveis. Entre elas, a possível utilização de biomassa, entre outras fontes de matéria-prima.

“O objetivo agora é montarmos um grupo de trabalho que vai apresentar sugestões do ponto de vista do Governo do Estado para a solução dessa problemática. Entendemos que a cadeia produtiva do artesanato envolve questões econômicas, sociais e ambientais e nada melhor do que estudos para que a gente possa apresentar alternativas sustentáveis, como a utilização de outros materiais, a exemplo da biomassa. O Governo do Estado tem todo o interesse em identificar possíveis áreas que possam ser objeto de extração deste barro com a qualidade necessária para que se dê continuidade a esta cadeia produtiva do Alto do Moura, que também representa Pernambuco e o Brasil no setor cultural”, destacou Bertotti.

Segundo o titular da pasta do meio ambiente, deve fazer parte deste Grupo de Trabalho a ser estruturado, além da Semas, a Secretaria Estadual de Cultura e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, por meio da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper). Participaram do encontro o presidente da Associação de Artesãos do Alto do Moura, o secretário Estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, a deputada estadual Laura Gomes, a integrante da Unidade Integrada de Gestão Ambiental da CPRH de Caruaru, Isabele Macedo Cruz e o geólogo analista ambiental da CPRH, Sharles Martins.

Foto: Lu Rocha/ Semas-PE