Na localidade, os resultados da primeira etapa do programa subsidiarão as demais etapas de execução do projeto: criação de conselhos gestores, elaboração de planos de manejo e o monitoramento remoto de fragmentos florestais e propostas de criação de corredores ecológico

 

Elaboração de Diagnósticos Socioambientais Participativos, Planos de Manejo, implantação de conselhos gestores e indicação de oportunidades de Corredores Ecológicos para os Parques Estaduais (PEs) Mata de Duas Lagoas e Mata do Zumbi, Floresta Urbana (FURB) Camaçari e para a Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) Ipojuca-Merepe. Essas são as ações previstas pelo Programa UC Pernambuco para essas quatro Unidades de Conservação (UCs), sendo as três primeiras localizadas no município do Cabo de Santo Agostinho e a última em Ipojuca. O plano de trabalho foi apresentado, na manhã desta terça-feira (30), durante webinário promovido pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas-PE).

Contratado pela Semas-PE, o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) ficará responsável pela execução do Programa nessas quatro áreas, que será realizado em quatro etapas. A primeira delas é o levantamento de dados para compor o documento de Diagnósticos Socioambientais. Nesse caso, serão observados o Meio Físico (clima, fenômenos meteorológicos, geologia, geomorfologia, pedologia, recursos hídricos, trilhas e aspectos paisagísticos, o Meio Biótico (biomas e ecossistemas, vegetação e flora, fauna e biodiversidade de ecossistemas aquáticos) e o Meio Antrópico (socioeconomia, Arranjos Produtivos Locais – APLs, uso e ocupação do solo, patrimônio cultural, populações tradicionais, políticas e projetos relacionados).

Os resultados dessa primeira fase subsidiarão as demais etapas de execução do projeto: criação de conselhos gestores, elaboração de planos de manejo e o monitoramento remoto de fragmentos florestais e propostas de criação de corredores ecológico. O trabalho conta ainda com a atuação conjunta da empresa PLANTUC – Projetos Socioambientais, que atuará nesse “Agrupamento Suape”, como está sendo identificado no Programa. Participaram da atividade, o secretário da Semas, José Bertotti, representantes da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), do Itep, membros das prefeituras dos municípios envolvidos e da sociedade civil.

MATA DE CAMAÇARI – A Floresta Urbana (FURB) possui uma área de 223,3 hectares, está inserida no Bioma Mata Atlântica, em estágio médio de regeneração, e tem importância como refúgio da fauna e da flora.

MATA DE DUAS LAGOAS – O Parque Estadual possui uma área total de 140,3 hectares e também faz parte do Bioma Mata Atlântica. Encontra-se inserido na Zona de Preservação Ecológica (ZPEC), área sob o domínio do Complexo Industrial Portuário de Suape. O nome do parque se deve à duas grandes lagoas que se encontram logo em sua entrada.

MATA DO ZUMBI – Com uma área total de 292,4 hectares, o Parque Estadual faz parte do Bioma Mata Atlântica e também se encontra dentro da ZPEC, sob o domínio do Complexo Industrial Portuário de Suape.

IPOJUCA-MEREPE – A Área de Relevante Interesse Ecológico possui uma área total de 1.488,81 e está inserida no Bioma Mata Atlântica, compreendendo áreas de Matas, Manguezais e Restingas. A área da UC abriga não somente espécies que são comuns a estes ecossistemas, mas também que biogeograficamente apresentam distribuição restrita. Ambos funcionam como sítios de alimentação e reprodução de diversas espécies de aves aquáticas, marinhas e migratórias.

PROGRAMA – O Programa UC Pernambuco é uma iniciativa da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) e recebe recursos provenientes da compensação ambiental arrecadados pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), órgão responsável pelo gerenciamento das Unidades de Conservação no Estado. O objetivo é a promoção de soluções integrados no que diz respeito à gestão ambiental de UCs. Ao todo, serão contempladas 47 unidades, distribuídas por 35 municípios, localizadas em áreas dos biomas Caatinga e Mata Atlântica e ecossistemas associados, que estão divididas em agrupamentos para execução do Programa.

Foto: Renato Albuquerque/CPRH