Dando continuidade aos trabalhos do Programa UC Pernambuco, profissionais da Associação Plantas do Nordeste (APNE) realizaram, na segunda-feira (20), uma visita técnica ao Refúgio da Vida Silvestre (RVS) Matas do Sistema Gurjaú, situado entre os municípios do Cabo de Santo Agostinho, Jaboatão dos Guararapes e Moreno, para coletar dados que vão compor os Diagnósticos Socioambientais da área. Acompanhados do analista ambiental da CPRH e integrante da equipe de gestão da Unidade de Conservação, Fábio Amorim, percorreram os principais acessos e trilhas que levam aos açudes de Gurjaú e Secupema. Durante o percurso, foram registrados vários pontos que servirão de base para o mapeamento de uso do solo da área.

As informações que foram coletadas em campo pela equipe da APNE subsidiarão as demais etapas do projeto, apontando elementos fundamentais para elaboração do Plano de Manejo para a UC. No âmbito do Programa UC Pernambuco, considerado o maior conjunto de estudos ambientais em Unidades de Conservação já realizados no Estado, a Mata do Sistema Gurjaú encontra-se no Agrupamento Sistema Gurjáu, que conta ainda com os RVS Mata do Bom Jardim, Mata do Engenho Salgadinho, Mata de Caraúna e Mata de Contra Açude.

Para essas Unidades de Conservação estão previstos a Elaboração de Diagnósticos Socioambientais Participativos e Planos de Manejo, além de abordagens sobre os Conselhos Gestores e indicação de oportunidades de Corredores Ecológicos. Contratado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) é a organização responsável pela execução do Programa nas UCs.

A Mata do Sistema Gurjaú possui uma área total de 1.077,1 hectares e, além de ser uma das maiores UCs de proteção integral da RMR, está situada na bacia de proteção de mananciais, detendo em seu interior mais de 200 nascentes de água. O RVS possui também um elevado grau de relevância para a conservação do bioma Mata Atlântica, sendo considerado de extrema importância biológica para o Nordeste e incluído no Atlas da Biodiversidade de Pernambuco como área prioritária, despertando grande interesse da comunidade científica para pesquisas sobre a diversidade biológica do Estado.

PROGRAMA – O Programa UC Pernambuco é uma iniciativa da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) e recebe recursos provenientes da compensação ambiental arrecadados pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), órgão responsável pelo gerenciamento das Unidades de Conservação no Estado. O objetivo é a promoção de soluções integradas no que diz respeito à gestão ambiental de UCs. Ao todo, serão contempladas 47 unidades, distribuídas por 35 municípios, localizadas em áreas dos biomas Caatinga e Mata Atlântica e ecossistemas associados, que estão divididas em agrupamentos para execução do programa.

Fotos: José Luiz Vieira/APNE