Na ocasião, o secretário explanou sobre iniciativas que vêm sendo implementadas no estado a exemplo do Inventário de Gases de Efeito Estufa e o plano de descarbonização

‘Organização em rede para a ação climática’ foi mais um dos importantes painéis da COP do Clima, que contou com a participação do secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, nesta quinta-feira, 11. A iniciativa, promovida pelo Instituto Ethos, objetivou construir agendas comuns entre os diversos atores que compõem a sociedade brasileira visando fortalecer as ações ambientais em rede. Ambientalistas, gestores de governos subnacionais e representantes de organizações participaram do evento de alinhamento de pautas e compartilhamento de debates, para que a agenda do clima seja incorporada pelas políticas públicas.

De acordo com o secretario estadual José Bertotti, é preciso continuar avançando neste trabalho construído em rede, a exemplo da Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC) e o Fórum Amazônia Sustentável (FAS). O gestor destacou ainda as iniciativas implementadas em Pernambuco, a exemplo do Inventário de Gases de Efeito Estufa, que faz um mapeamento dos setores e atividades com maior impacto na geração de poluentes e o plano para a descarbonização do estado.

“Além do anúncio de R$ 75 milhões, feito pelo governador Paulo Câmara para a agenda ambiental, na recomposição da cobertura vegetal na APA Aldeia-Beberibe, para o desenvolvimento de centros de triagem de resíduos sólidos, com vistas a apoiar os municípios a extinguirem os lixões, e a recuperação de mil nascentes, estamos atualizando nosso Inventário de Gases de Efeito Estufa e dando andamento a um plano de descarbonização no estado e vários setores produtivos estão envolvidos”, explicou Bertotti.

De acordo com os participantes, a ampliação das redes de parceiros através do diálogo sobre alternativas para o enfrentamento à crise climática, é parte essencial do caminho para o cumprimento dos objetivos de mitigação, adaptação e descarbonização estabelecidos pelo Acordo de Paris, em 2015.

Além de José Bertotti, Integraram de forma presencial o painel, Marina Ferro, pelo Instituto Ethos, Marina Marçal, pelo Instituto Clima e Sociedade (ICS), Karen Oliveira, da The Nature Conservancy (TNC), Joci Aguiar, do Grupo de Trabalho Amazônico (GTA) e Guilherme Syrkis, do Centro Brasil no Clima (CBC), ambos participaram de maneira remota.