A iniciativa é voltada para recuperação de nascentes e deve beneficiar diretamente 100 famílias da região

Em agenda pelo Sertão do Araripe, o secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti, visitou o município de Ouricuri, para conhecer de perto um dos projetos contempladas no Edital do Fundo Estadual do Meio Ambiente – Fema, para a recuperação de nascentes. O Barragens dos Algodões Regenerativa, do Centro de Assessoria e Apoio aos Trabalhadores e Instituições não Governamentais Alternativas “Caatinga”, é um dos vencedores do Fema e receberá um aporte de R$ 287, 150, 00. A iniciativa prevê a recuperação de 50 hectares de áreas degradadas ou em processo de degradação. O projeto prevê ainda formação e assistência técnica a 100 famílias agricultoras em implantação e manejo em Sistemas Agroflorestais (Safs).

Ao todo devem ser beneficiadas 400 pessoas que integram as 100 famílias a serem selecionadas para participação integral da iniciativa, além da população que vive no entorno da Barragem dos Algodões. O projeto tem duração de 12 meses para a sua execução e será desenvolvido na região rural do semiárido, no entorno da barragem dos Algodões, no Riacho de São Pedro, bacia do Brígida.

“Este é um edital para desenvolver sistemas agroflorestais com foco em tecnologias para produção no semiárido e nesse processo iremos beneficiar 100 famílias e no geral cerca de 400 pessoas, que irão trabalhar com reuso de águas, proteção de nascentes, plantio para reflorestamento de mudas nativas juntamente com sistemas consorciados em produção de alimento, contando ainda com uma conexão com as prefeituras”, afirmou o secretário José Bertotti.

“A gente está muito feliz de poder firmar esta parceria com o estado na recuperação de áreas aqui em torno da barragem, avaliando que estas parcerias sempre podem gerar bons frutos. E esse projeto vai nos permitir instalar, ao redor da barragem, seis sistemas agroflorestais que têm sido uma das tecnologias que permite que as famílias recuperem as áreas degradadas ao tempo que conseguem produzir alimento e consequentemente incrementar a sua renda. Além disto, está previsto mobilização e formação com as comunidades, afirmou Giovani Xenofonte, representante do Instituto Caatinga.

Para Irenir Santos, da diretoria da Associação sítio vida nova e sítio circunvizinhos, a assinatura da parceria deve fortalecer o trabalho desenvolvido na localidade. “Essa parceria vai fortalece nossas atividades agroecológicas e assessorar nas tecnologias que a gente não consegue desenvolver, porque a gente vai ter acompanhamento tecnológico, além de ajuda financeira e nosso objetivo é trabalhar e manter o jovem na nossa comunidade, para que ele não precise ir pra fora em busca de emprego e renda, mas que todos consigam ter uma boa qualidade de vida na sua propriedade”, explicou a liderança.
O secretário estadual, em sua agenda de visitações, assinou convênio com a organização Caatinga para a atuação prevista pelo edital e concedeu entrevista a uma das emissoras de rádio da região.

FEMA– O Edital Fema (nº 01/2021), lançado em março deste ano, teve como objetivo investir cerca de R$ 1,8 milhão em projetos da sociedade civil com vistas à recomposição florestal em áreas de nascentes, a partir de sistemas agroflorestais. Áreas degradadas ou em processo de degradação, na região dos biomas de Mata Atlântica e Caatinga, deverão ser restauradas a partir das iniciativas contempladas. Ao todo 6 projetos foram selecionados: 3 a serem implementados no bioma Caatinga e os demais no bioma Mata Atlântica.

Fotos: Pedro Caldas- Semas/PE