Esta quinta-feira (27) foi um dia bem diferente para os integrantes do Conselho Gestor do Parque Estadual de Dois Irmãos (PEDI). Eles participaram de uma reunião de campo com visita técnica aos bastidores do Parque. A visita foi idealizada para que os conselheiros pudessem conhecer in loco o trabalho e a rotina dos cuidadores, trabalhadores e técnicos do zoológico. Durante a programação, os conselheiros também visitaram o Açude do Meio e o Açude do Prata, espaços privilegiados, de beleza exuberante, que ficam situados em área de Mata Atlântica que abriga um manancial com águas límpidas e que abastece a capital pernambucana.

Gil Marinho é gerente da Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur) e também faz parte do Conselho Gestor do Parque. Ele participou da visita e avaliou que a experiência foi bastante proveitosa. “Foi uma iniciativa muito bacana, principalmente para quem não conhecia estes espaços. Serviu para entendermos, de uma forma muito mais clara, o trabalho magnífico que a equipe técnica do PEDI vem fazendo e que a gente precisa apoiar de todas as formas”, disse o conselheiro.

Salete Silva é moradora do Córrego do Jenipapo e representa a sociedade civil no Conselho. Além de participar da visita, ela levou o neto, Gabriel Silva, de 19 anos, para conhecer os espaços. Os dois se encantaram com o trabalho daqueles que estão no dia-a-dia deste centro de conservação da natureza. “Eu conheço o Parque há muito tempo, mas não conhecia estes detalhes do trabalho dos técnicos e também esta área dos açudes. Eu simplesmente estou maravilhada. E pensar que a gente tem tudo isso, praticamente no centro do Recife. É tudo muito lindo por aqui”, declarou Salete. 

A gestora do PEDI e presidente do Conselho Gestor, Paula Falbo, avaliou que esta visita de campo foi um momento muito interessante para o grupo. “Toda Unidade de Conservação precisa ter um Conselho Gestor, representando a sociedade civil e a gestão pública, fazendo parte da gestão mais estratégica e monitorando nossas ações. Nesta visita em campo, apresentamos os bastidores, a nutrição e o acompanhamento do trabalho com as espécies em ameaça de extinção. Os conselheiros conheceram e entenderam como é feita a manutenção e todo o trabalho que realizamos no Parque”, concluiu Paula Falbo. 

Participaram da visita de campo de quinta-feira os conselheiros que representam a sociedade civil, gestão pública e universidades.