Apesar das dificuldades enfrentadas por todas as instituições, os avanços foram apontados

A Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental de Pernambuco (CIEA/PE) realizou, nesta segunda (08), a primeira reunião do ano, por meio de plataforma digital. O evento, coordenado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas-PE), contou com a participação de representantes da Instituto Federal de Pernambuco – IFPE; universidades Federal e Federal Rural de Pernambuco (UFPE, UFRPE), Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) e a Secretaria Estadual de Saúde.

O encontro foi aberto pelo secretário de Meio Ambiente, José Bertotti, que saudou os participantes do evento e ressaltou a importância da CIEA e da Educação Ambiental para o desenvolvimento da política Ambiental do Estado. Um balanço das ações e o andamento dos projetos promovidos pela pasta ambiental foram apresentados, destacando iniciativas como a parceria com a UFPE em relação aos resíduos, a execução de emendas parlamentares, projeto da plataforma digital Ambiente+, o plano de trabalho do Instituto de Economia Circular.

Inamara Melo, secretária Executiva da SEMAS, destacou que, mesmo diante de acontecimentos difíceis, como o derramamento do óleo e a pandemia, várias ações positivas foram realizadas pela Semas em 2021. “Apesar das dificuldades, obtivemos algumas vitórias que merecem ser trazidas. A chegada de novos profissionais recompondo a equipe de servidores da secretaria. O fato de estamos na coordenação nacional dos trabalhos de enfrentamento das mudanças climáticas e isso tem nos colocado em articulações extremamente interessantes. A Coordenação da Câmara Técnica do Clima na ABEMA nos permite interações com organismos internacionais e uma participação privilegiada em diversos fóruns”, comentou.

Já o superintendente de Meio Ambiente da SEMAS, Bertrand Sampaio, ressaltou a importância conseguir colocar em prática projetos voltados à educação ambiental e citou algumas iniciativas exitosas. “No momento, temos em Fernando de Noronha um projeto de transformação de lixo em biogás e o de combate do lixo no mar. Aprovamos também o projeto de tratamento de resíduos eletroeletrônicos, em que devemos disseminar a ideia da responsabilidade da logística reversa”, pontuou.

Energia Solar

Durante a reunião, o professor José Araújo, do Departamento de Energia Nuclear da UFPE, também falou sobre a instalação de painéis solares fotovoltaicos, do projeto de biorrefinaria. A iniciativa aproveita principalmente as folhas como combustível. “Temos várias iniciativas, mas precisamos fazer com que essas informações cheguem à sociedade para o conhecimento da aplicação direta desses conceitos ligados à preservação do meio ambiente e da vida das pessoas”, concluiu.