Encontro on-line desta quinta, 5, contou com representantes do The Climate Group / Under 2 Coalition, Bloomberg Philanthropies, além da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, e teve transmissão pelo canal do Ethos no YouTube

A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas-PE) integrou, nesta quinta-feira (05/11), o painel sobre o tema “Estratégias para potencializar a ação climática subnacional”, na segunda edição da Conferência Brasileira de Mudança do Clima (CBMC). Com moderação de Samanta Della Bella, superintendente de sustentabilidade e clima da Semas/PE, o encontro – que acontece numa iniciativa do Instituto Ethos, juntamente com outros 20 correalizadores – contou com a participação de Inamara Mélo, coordenadora da Câmara Técnica do Clima da Abema e secretária-executiva da Semas-Pe; Rolf Bateman, coordenador de engajamento do The Climate Group / Under 2 Coalition no Brasil; além de Shara Mohtadi, da equipe de meio ambiente da Bloomberg Philanthropies, de Nova Iorque (EUA). A atividade teve como objetivo debater a atuação dos Estados brasileiros na agenda do clima.

De acordo com Samanta Della Bella, superintendente de sustentabilidade e clima da Semas, os impactos das mudanças climáticas possuem ordem de grandeza pior do que aquelas causadas pela pandemia da Covid-19 no mundo. Por isto, “os estados brasileiros, através da Câmara Técnica do Clima da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente – Abema, com o apoio do Instituto Clima e Sociedade e do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia – IPAM, organizaram o painel que trata das estratégias subnacionais, que tem como objetivo manter os debates e apontar medidas concretas capazes de impulsionar o alcance das metas climáticas que apontam para um futuro de baixa emissão de carbono e resiliente”, assegurou.

Entre as ações desenvolvidas em Pernambuco, a secretária executiva da pasta ambiental, Inamara Mélo, ressaltou que o Estado havia sido mobilizado para receber a primeira edição da Conferência Brasileira de Mudança do Clima – CBMC, em 2019, considerada uma pauta central para a questão do meio ambiente do país. “Levamos a proposta de criação da Câmara Técnica do Clima (CT Clima) para as representações da Abema, que reúne os órgãos estaduais de meio ambiente, com o objetivo de articular e apoiar a participação dos estados na CBMC que aconteceria no final do ano. No âmbito da CT Clima da Abema, passamos a discutir como os estados vinham tratando a agenda climática. Os debates e contribuições resultaram na Carta da Abema pelo Clima, lançada no Recife, na CBMC 2019, com a presença de representantes de todos os governos de estado, que ratificaram os 17 compromissos pelo clima, considerado um importante marco para todos nós”, salientou Inamara Mélo.

Ao destacar a atuação das coalizões sobre as ações desempenhadas pelos estados subnacionais pelo clima, Rolf Bateman, da Under 2 Coalition, ressaltou que “a participação dos entes subnacionais, mantidas as suas particularidades, compõem um esforço de agregar os estados, a partir das informações obtidas, para propor ações climáticas de médio e longo prazos, investindo recursos que resultem em reduções maiores ou até na remoção de emissões de carbono da atmosfera. A coalização Under 2 é um exemplo de internacionalização dessas coalizões que teve início com o Governo da Califórnia, nos Estados Unidos da América, e de Badem-Württemberg, na Alemanha, que angariaram membros para se tornar uma aliança mais ambiciosa”.

Já Shara Mohtadi, membro da equipe de meio ambiente da organização Bloomberg Philanthropies, de Nova Iorque (EUA), fez uma análise do momento político das eleições para presidente dos Estados Unidos da América. Segundo a mestre em relações internacionais pela Universidade de Columbia, perguntada sobre os desafios com a continuidade do atual governo ou de uma eventual vitória dos Democratas, ela respondeu que: “em termos climáticos, o que ocorreu nos últimos três anos não vai desaparecer. Mas numa possível administração de Biden, ela acredita que haverá um maior engajamento da maioria dos estados e municípios em reuniões sobre políticas climáticas”.

Texto e imagens: Flávia Cavalcanti