Em reunião promovida pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural, Bertotti destaca a importância do compartilhamento de experiências e iniciativas na defesa de nossos ativos culturais e ambientais

O secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco (Semas/PE), José Bertotti, esteve entre os convidados e convidadas do I Encontro de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural de Pernambuco, promovido nesta quinta-feira (19), de maneira virtual, pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural. A atividade, realizada no âmbito da 14ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco (de 16 a 24 de agosto), foi transmitida pelo canal do Youtube da Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult PE).

O conselho, cuja reunião contou com várias autoridades e representantes de entidades, propôs a formação de uma Rede voltada à integração das diversas políticas públicas no campo do patrimônio. Segundo os organizadores, a ideia é articular ações, programas e serviços que contemplem práticas para salvaguarda e preservação do nosso patrimônio cultural, introduzindo também mecanismos de acompanhamento de avaliação e de mobilização da sociedade em torno da temática da preservação do patrimônio. O encontro deve funcionar ainda como pontapé para aprimoramento dos modelos de participação, além de permitir a troca de experiência entre os vários agentes institucionais que potencialmente possam transformar e qualificar o debate sobre o Patrimônio Cultural.

Conforme Bertotti, que é presidente do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) e representante do Nordeste no Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), a riqueza ambiental do estado, como a Caatinga, a Mata Atlântica, além dos ambientes naturais, também são nosso patrimônio e há a necessidade de recuperar determinados ambientes e espaços, sendo importante a possibilidade de mais uma forma de interação, como a proposta do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural. Para o secretário, é bastante relevante o compartilhamento de experiências, assim como o incentivo à diferentes oportunidades a partir do olhar sobre nossa história e patrimônio. “Os ativos ambientais e os ativos do patrimônio cultural, assim como inciativas junto à indústria, comércio e serviços são importantes para podermos construir possibilidades de geração de empregos com menos emissões gases de efeito estufa e menos poluentes, para que a gente possa pensar em uma retomada com outros parâmetros de desenvolvimento que seja sustentável, com preservação, inclusão social e geração de empregos verdes”, declarou.

Em sua fala, o secretário destacou, ainda, que o Governo do Estado está elaborando um plano de descarbonização da economia em Pernambuco, em parceria com a União Europeia. O estudo prevê a redução escalonada das emissões de gases poluentes por diversos setores, com foco também em novas matrizes energéticas. Uma prévia do estudo será apresentada em novembro, na Cop do Clima, em Glasgow (Escócia).