Semas participará da quinta edição da série de diálogos que debaterá oportunidades de boas práticas sustentáveis para inovar o setor da agricultura e que serão vitais para vencer os impactos das mudanças climáticas nos próximos anos

Reduzir a emissão de gases do efeito estufa para garantir a sustentabilidade da agricultura a longo prazo é o tema do quinto diálogo da série “Recuperação Verde: caminhos sustentáveis para os estados”, que acontece na próxima quinta-feira, 24 de março, entre 9:00 e 12:30 (serviço abaixo). Com promoção do programa Strategic Partnerships for the Implementation of the Paris Agreement (SPIPA) e da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Meio Ambiente (ABEMA), o encontro, voltado para gestores públicos estaduais, é o primeiro realizado em parceria com o Governo do Estado de Pernambuco por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade.

Intitulado “Agricultura do novo século: inovações e oportunidades com baixo carbono”, o diálogo irá debater caminhos para uma agricultura mais sustentável, em especial diante dos desafios impostos pelas mudanças do clima. A abertura do evento ficará por conta da secretária executiva de Meio Ambiente, Inamara Mélo, que também é coordenadora do CT Clima da ABEMA. Os impactos das alterações climáticas para o setor agrícola brasileiro serão apresentados por Leila Harfuch, sócia-gerente da Agroicone, uma organização que gera conhecimento e soluções para transformar o setor agropecuário, contribuindo para os desafios globais.

Já por parte da União Europeia, o policy officer do DG Agricultura e Desenvolvimento Rural, Pasquale di Rubbo, irá apresentar a estratégia do “Prado ao Prato” (Farm to Fork, em inglês). Uma das ações mais importantes do Pacto Ecológico Europeu, a estratégia irá implementar transformações amplas na agricultura do bloco europeu, com efeitos imediatos aos países exportadores, como o Brasil.  Ainda no primeiro painel, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária (FAEA) e vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Muni Lourenço Silva Júnior, falará sobre o tema “Iniciativas de descarbonização: o futuro da agricultura brasileira”.

No segundo painel, o evento abordará exemplos de boas práticas no campo da agricultura no Brasil e na Europa. Do semiárido do Nordeste, serão apresentadas as experiências positivas do Projeto Caatinga. O diretor do projeto, Pedro Leitão, irá falar sobre a iniciativa que une tecnologias de baixo carbono e agricultura familiar. Já a representante do CEJA (Conselho Europeu dos Jovens Agricultores), Martina Dal Grande, irá abordar práticas de conservação e sustentabilidade, que estão sendo adotadas em prol dos jovens agricultores europeus, conferindo vitalidade à produção local.

Após as apresentações, os participantes poderão levantar dúvidas e fazer perguntas durante a mesa redonda “Tecnologias de baixo carbono e regenerativas na agricultura do Nordeste”. Com moderação do diretor de Sustentabilidade da Bayer para América Latina e coordenador do Comitê de Sustentabilidade e Bioeconomia da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), Eduardo Brito Bastos, o debate terá a participação de todos os palestrantes.

Diálogos Recuperação Verde – Composta por nove encontros, a série de diálogos “Recuperação Verde: caminhos sustentáveis para os estados” tem como principal objetivo auxiliar os governos estaduais na busca de caminhos sustentáveis para o crescimento econômico aliado ao cumprimento das metas de redução de emissões de carbono delimitadas pelo Acordo de Paris. Para tanto, será utilizado como base os conceitos do Pacto Ecológico Europeu, agenda que tem como ponto central garantir a neutralidade climática da Europa até 2050, ano  que o bloco estabeleceu como meta para zerar o balanço das emissões de gases do efeito estufa.

Com medidas que vão do campo às cidades, da restauração de florestas à eficiência energética, o ambicioso Pacto Ecológico Europeu é uma estratégia de crescimento que promete revolucionar a economia do bloco, gerar empregos e formar uma sociedade mais justa e conectada. Para alcançar a neutralidade climática em 2050, a União Europeia planeja implementar ações concretas para reduzir a zero o balanço das emissões de gases de efeito estufa em setores essenciais como energia, transporte e indústria, e implementar ações de compensação e sequestro de carbono, como a recuperação de florestas e áreas degradadas, quando for o caso. No caso da agricultura, por exemplo, uma das metas do Pacto Ecológico Europeu é chegar a 25% das terras produtivas da região sob a agricultura orgânica até 2030.

Sobre o SPIPA – O programa Strategic Partnerships for the Implementation of the Paris Agreement (SPIPA) está sendo implementado em estreita colaboração com a Comissão Europeia e o Serviço Europeu de Ação Externa, com financiamento do Instrumento de Parceria da UE e do Ministério Federal Alemão para o Meio Ambiente, Conservação da Natureza e Segurança Nuclear (BMU). O programa também pretende contribuir para a melhoria da consciência pública, inclusive na comunidade empresarial, sobre os desafios e oportunidades associados à implementação do Acordo de Paris.

Serviço

“Recuperação Verde: caminhos sustentáveis para os estados”

Diálogo 5: Agricultura do novo século: inovações e oportunidades com baixo carbono

24 de março de 2022 (quinta-feira)

9h – 12h30

Inscrições e acesso: https://bit.ly/recuperacaoverdedialogo5

Com informações e texto da BM Comunicação/ Bia Murano