O Projeto prevê a implantação de viveiros de mudas de árvores nativas para o reflorestamento de áreas degradadas do Rio Goitá, com o apoio de estudantes capacitados em educação ambiental

O secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti, firmou convênio na manhã desta quarta-feira, 15, para implantar o projeto Nascentes do Goitá, em Glória do Goitá, a 62km do Recife. O convênio conta com a parceria do Serviço de Tecnologia Alternativa – SERTA, e visa a recuperação das nascentes do Rio Goitá, através do Sistema Agroflorestais, que utiliza a cobertura vegetal em áreas degradadas ou em degradação. O projeto deve beneficiar cerca de 400 trabalhadores rurais das propriedades de agricultura familiar, dos seis municípios que formam a Bacia do Goitá. Para Bertotti, este momento tem um significado especial, pois fecha um ciclo de assinaturas de seis projetos financiados pelo Edital 01/2021 do Fundo Estadual de Meio Ambiente – FEMA.

“Estamos hoje encerrando um ciclo de assinaturas de seis convênios do edital FEMA 01. Há 6 anos que não conseguíamos mobilizar recursos deste fundo, para ações ambientais. Mas, graças ao Governo de Pernambuco, através da Semas, só este ano, conseguimos viabilizar 3 editais, totalizando 4,8 milhões de reais, para serem empregados em ações ambientais. Este convênio com o SERTA, que é um grande parceiro do governo do Estado, na formação de técnicos em Agroecologia é muito importante, pois eles serão multiplicadores dos conhecimentos na economia sustentável, principalmente na agricultura familiar. Além disso, o governador Paulo Câmara anunciou um reforço de 75 milhões de reais para serem investidos em ações de combate às mudanças climáticas, e deste montante, 12,5 milhões serão destinados a financiar pelo menos mais 45 projetos de recuperação de nascentes como este,” finalizou Bertotti.

A presidenta do Serta, Alexsandra Maria da Silva, avaliou que esta iniciativa é muito significativa para a história da entidade que forma técnicos em agroecologia e estes estudantes serão fundamentais em tocar o projeto. “Essa iniciativa de recuperação das nascentes do Rio Goitá, envolvendo os sujeitos dos territórios, é muito significativa. Esse processo tem tudo pra dá certo, pois usa a sensibilização e a multiplicação do conhecimento para a recuperação das nascentes, unindo a ancestralidade com as novas gerações, num encontro da cultura tradicional com os novos conhecimentos, aqui no entorno da Bacia do Goitá. A gente já tem 100 atores envolvidos pra iniciar os trabalhos, beneficiando seis municípios, a partir de agora é pegar no serviço. ”

O projeto tem duração de 12 meses e receberá investimentos de R$ 329.729,55, sendo R$ 299.729,55 de recursos oriundos do FEMA 01, e R$ 30.000,00 de contrapartida, para serão empregados na implantação de viveiros de engorda de mudas de árvores nativas, para serem plantadas em áreas das nascentes do Rio Goitá, beneficiando Gloria do Goitá, mais os municípios de Lagoa de Itaenga, Pombos, Chã da Alegira, Feira Nova e Vitória de Santo Antão.

Foto – Lu Rocha